Dia a dia

No Aleixo, adolescente é morto com dois tiros; outros três ficam feridos

 

O estudante e ajudante de serralheiro Bruno Andrade Rodrigues, 16, foi morto na noite dessa quinta-feira (11) com dois tiros na cabeça. O crime aconteceu por volta das 12h30, na rua Bacari, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul. Outras três pessoas ficaram feridas.

Segundo Delci Alves Pinheiro, 49, dono da oficina em que Bruno trabalhava, no dia do assassinato, o jovem pediu um dinheiro adiantado para ir até a casa da sua mãe, no bairro São Jorge, Zona Oeste. Porém, o filho do empresário disse que viu a vítima no mesmo bairro momentos antes.

Ainda conforme o patrão de Bruno, por volta de 1h da madrugada, ele ouviu batidas na porta de sua casa e, ao abrir a porta, viu que se tratava de dois amigos de Bruno.

Os amigos, identificados apenas como Daniel, conhecido como ‘Bigol’, e Denilzon, vulgo ‘Gaguinho’, informaram que o rapaz tinha sido alvejado com dois tiros, por dois homens que estavam em uma moto de modelo e placa não identificadas.

Os irmãos estavam com o adolescente no momento do homicídio e Daniel chegou a ser atingido com um tiro no pé.

Após saber da notícia, Delci, a esposa e o filho do casal, Delci Alves Pinheiro Junior, 29, foram até o local onde Bruno havia sido alvejado. “Ao chegarmos, vimos que ele ainda estava respirando, então meu filho correu para pedir ajuda. Mas houve novos disparos e ouvi meu filho gritando que também tinha sido baleado”, contou Pinheiro.

Ainda de acordo com Delci, foram efetuados oito tiros. A esposa foi atingida com um tiro de raspão no braço e o filho com três tiros, sendo um nas nádegas e dois na perna.

A esposa de serralheiro ainda conseguiu ver dois homens em um carro preto de modelo e placa não identificada, que passaram atirando.

De acordo com a polícia, Delcir Junior e a mãe foram encaminhados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul, e passam bem. Bruno foi levado para o Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, na Zona Leste, mas não resistiu.

O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Por Henderson Martins (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir