Esportes

Nicholas Santos leva a prata e Cielo fica fora do pódio nos 50m borboleta

A final dos 50 m borboleta foi o desfecho de dois dos piores dias da carreira de Cesar Cielo. Nesta segunda-feira (3), o nadador terminou a prova na sexta posição, com um tempo de 23s21, bem abaixo de sua melhor marca pessoal de 22s76.

O ouro ficou com o francês Florent Manaudou, que triunfou com o tempo de 22s97, seguido de Nicholas Santos, que cravou 23s09. O húngaro Laszlo Cseh completou o pódio com o terceiro lugar (23s15).

Cielo defendia o bicampeonato mundial da distância. Nas eliminatórias e semifinais, disputadas no domingo (2), ele demonstrou que não estava bem.

Cielo passou das duas fases raspando (foi 14º na primeira e 8º na outra), e chegou desacreditado à final. Ele mesmo chegou a dizer que brigaria apenas pelo bronze e que não se sentia bem.

O problema, disse, passava por problemas de cansaço e por dores no ombro -ele sofre de uma lesão no tendão supra espinhoso e tem feito fisioterapia para se recuperar. No mesmo dia, ele não ficou à disposição para a final do revezamento 4 x 100 m, na qual o Brasil terminou em quarto lugar.

A participação põe em xeque seu resultado nos 50 m livre, prova cujas eliminatórias serão disputadas na sexta-feira (7) e da qual o brasileiro é tricampeão mundial.

Cielo abdicou de disputar o Pan de Toronto, em julho, para se dedicar a Kazan. Ele explicou no domingo que, durante o período de preparação, na Holanda, sentiu muito cansaço, que se manteve na Rússia.

Ao longo de todo o ano, ele teve problemas para estabelecer boas marcas. Nos 50m livre, nadou só uma vez abaixo de 22s, marca padrão para entrar em finais da prova. No Troféu Maria Lenk, em abril, ele não conseguiu uma vitória individual sequer. Foi seu pior desempenho no torneio em dez anos.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir