Cultura

Nas ondas do rádio: Nativa inova e agrada público em Manaus

Julio Roberto é locutor da rádio Nativa em Manaus – Ione Moreno

A dona de casa Vanessa Farias, de 32 anos, logo que acorda, liga o rádio. “Passo o dia ouvindo a rádio Nativa, gosto da interação dos locutores com a gente. Sinto como se houvesse um amigo em casa falando comigo, trazendo energia, tocando música que fazem sentido para mim. Já ganhei até prêmios,  sempre ligo para pedir música”.

Há pouco mais de um ano em Manaus, a rádio Nativa é um sucesso. A rádio ganhou o gosto popular e é umas das mais ouvidas na capital e em alguns municípios da região metropolitana.

Simplicidade

Júlio Roberto Albuquerque, locutor que comanda o fim da manhã e o início da tarde na Nativa, explica que o sucesso da Nativa vem da simplicidade. “A Nativa é uma rádio muito simples, toca o que as pessoas gostam de ouvir, o estilo sertanejo. Não tem como negar, é a música do momento. A comunicação que fazemos na Nativa é muito próxima do ouvinte. O segredo é conversar, falar a linguagem de quem está do outro lado. A Nativa é umas das rádios mais ouvidas do Brasil e, em Manaus, é um sucesso. Onde você vai na cidade tem alguém ouvindo a Nativa”, falou.

Magali Fortes é uma das locutoras da Rádio Nativa – Ione Moreno

Magali Fortes

Com 30 anos de trabalho no rádio, a locutora da rádio Nativa, Magali Fortes diz que a rádio sempre terá seu espaço.”A tecnologia está cada vez maior. Com a globalização, temos a internet, as redes sociais.O rádio nunca vai morrer, porque tem uma importância enorme na vida das pessoas”.

Sobre a internet, Magali não vê o meio como concorrente, e sim como aliado. “A internet é uma porta para o mundo, ao mesmo tempo que eu estou aqui fazendo rádio, a pessoa do outro lado do mundo está ouvindo, por meio de aplicativos”,explica.

Com uma voz conhecida e que faz sucesso nas tardes da rádio, Magali Fortes, diz que o segredo para atrair o público é o carisma.

 “Para você ter um público bacana, precisa ser alguém real, ser verdadeiro, não se distanciar e ter carisma. Contar com as participações ao vivo, dar oportunidade das pessoas falarem. Essa interação no rádio é fundamental e talvez o grande diferencial”.

Sobre o sucesso da rádio, Magali diz que a Nativa é uma rádio popular, porém irreverente.”Muita gente hoje gosta do sertanejo. A Nativa contribuiu muito para isso, por esse espaço que a rádio abre para o estilo, sempre com amor, paixão, amor e irreverência”, finaliza.

Veja o vídeo com a locutora Magali Fortes em ação, na Rádio Nativa:

 

Leia também: Rádio tradicional ainda tem preferência dos ouvintes, diz pesquisadora

Proximidade com os ouvintes

Para o diretor artístico da Rádio Nativa, Daniel Coutinho, o grande diferencial da emissora é justamente a proximidade com os ouvintes. “A rádio foi inaugurada no dia 5 de abril de 2016. Desde então vem numa crescente de audiência. Na Nativa o ouvinte está sempre em primeiro lugar. Vai para o ar, ganha prêmio. Ao mesmo tempo que conta com entretenimento o dia todo, fica bem informado,  pois temos um bloco de notícias em cada hora cheia. Com isso, temos público de todas as idades. Há crianças que mandam mensagem, há idosos que telefonam. Trabalhamos sempre para o ouvinte e ele sente que na Nativa é respeitado”, disse Coutinho.

Fábrica de Eventos

Sobre as transmissões ao vivo, Coutinho falou da importância com a parceria da Nativa, em Manaus, com a empresa “Fábrica de Eventos”.

“Outro grande diferencial da Nativa são as transmissões ao vivo, durante os shows da Fábrica de Eventos, presente por meio das promoções, e de nossa interação com os cantores. Sempre estamos nos shows da empresa e isso é muito importante para nossa popularidade”.

A estudante Mayara Coelho, de 22 anos, moradora do município de Iranduba, ouve a Nativa o dia todo, tanto pelo aparelho de rádio, quanto pelo celular. “A Nativa é diferente das outras rádios, ela toca o que eu gosto de ouvir e tem uma interação muito grande com o ouvinte. Enfim, a Nativa é mesmo tudo e muito mais”, brincou, usando o bordão da rádio.

Mara Magalhães
EM TEMPO

Leia mais:

Câmara aprova MP que altera regras de renovação de concessões de rádio e TV

Noruega é 1º país do mundo a parar com transmissões de rádio em FM

Ministério autoriza 53 rádios a fazer a migração de AM para o FM

1 Comment

1 Comment

  1. lucia carvalho

    6 de julho de 2017 at 18:50

    Não duvido que a Nativa seja tudo e muito mais. Mas, eu, enquanto ouvinte, penso que faltou mencionar a programação super pra cima, que o Bob faz, e a mensagem do dia… eu fico muito bem e me sinto mais feliz, quando escuto a Rádio com ele de manhã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir