Dia a dia

Narcotraficante amazonense é procurado pela Interpol

O foragido da Justiça Norval Rodrigues dos Santos, 60, natural do município de Benjamin Constant – reprodução

Apontado pela Polícia Federal (PF) como um dos maiores fornecedores de drogas do Brasil, com laços estreitos com o grupo libanês Hezbollah, o foragido da Justiça Federal Norval Rodrigues dos Santos, 60, atualmente é o único amazonense que consta na lista de procurados da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol). Segundo investigações da PF, Norval também tem ligações diretas com a organização criminosa Suri-Cartel, que fica no Suriname.

De acordo com informações da Polícia Federal, Norval tem conexão com a facção criminosa Comando Vermelho (CV), que tem sede no Rio de Janeiro, e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farcs). Os investigadores da PF suspeitam que o foragido da Justiça comanda sua rede de distribuição de cocaína no Suriname, que também mantém uma rede com o terrorismo islâmico internacional. É um esquema de tráfico de drogas e armas muito grande envolvendo vários continentes, entre eles as Américas do Sul, Central e do Norte, Europa e Ásia, conforme a Polícia Federal.

A rede tráfico de drogas à qual Norval Rodrigues pertence ocorre, pois uma das principais fontes de financiamento do Hezbollah é o tráfico de drogas. De acordo com a PF, o Suriname, que faz divisa com os Estados brasileiros do Pará e do Amapá, é um dos principais entrepostos da cocaína que sai da Colômbia e da Venezuela com direção à Europa, principalmente à Holanda. A PF chegou até o nome de Norval após prender 62 pessoas em duas operações simultâneas de combate ao tráfico internacional de drogas anos atrás.

Leia também: Caso Fifa: Interpol emite alerta para prisão de um brasileiro e 5 estrangeiros

Outras ligações

Norval também é associado ao traficante brasileiro Leonardo Dias Mendonça. A organização dos dois, conhecida como Suri-Cartel, envia aviões brasileiros carregados com cocaína da Colômbia para o Suriname e para a Guiana. Entre seus quadros, também está o megatraficante brasileiro “Fernandinho Beira-Mar”. A moeda de troca desse grupo, conforme a Polícia Federal, é a cocaína e armas de grosso calibre. A droga é oriunda da Colômbia e vai para o terrorismo. Em troca, esses criminosos enviam armas para o Suriname, que revende para vários países da América do Sul, inclusive o Brasil.

Os delegados Paulo Mavignier, do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), e Guilherme Torres, do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), disseram à reportagem do EM TEMPO, por telefone, desconhecer investigações da Polícia Civil do Amazonas contra Norval Rodrigues. “Procuramos na Justiça do Amazonas e no no Sistema de Segurança Pública do Estado informações, mas nada consta contra esse amazonense”, disse o delegado Paulo Mavignier.

A reportagem também tentou entrar em contato com o secretário de Segurança Pública do Amazonas, delegado da PF Sérgio Fontes, mas o mesmo não quis se pronunciar sobre o assunto.

Justiça Federal

O foragido da Justiça Norval Rodrigues é procurado pela Interpol, pois responde a um processo de tráfico internacional de drogas na Justiça Federal de Goiás. Ele é natural de Benjamin Constant. Durante as investigações da PF em 1998, o surinamês Bernardus Nanhu, afirmou ter servido de intérprete do traficante Leonardo Mendonça nas negociações de troca de armas por droga, de 1993 a 1996. O depoimento associa o brasileiro ao ex-ditador do Suriname, Desi Bouterse. Segundo Nanhu, o filho do ex-ditador, Dino Bouterse, era sócio de Mendonça no cartel de drogas.

Thiago Monteiro
EM TEMPO

Leia mais:

Denunciado na Lava Jato, Marqueteiro do PT será incluído em alerta da Interpol, diz PF

Interpol emite alerta para prisão de um brasileiro e 5 estrangeiros

Polícia aciona Interpol para prender socialite de Manaus foragida nos EUA

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir