Sem categoria

Nacional vence e assume a liderança do grupo A1

Jogando com o apoio da torcida, o Nacional vence Vilhena por 2 a 0 e assume liderança - foto: Ricardo Oliveira

Jogando com o apoio da torcida, o Nacional vence Vilhena por 2 a 0 e assume liderança – foto: Ricardo Oliveira

Com gols de Peter e Júnior Paraíba, o Nacional venceu o Vilhena-RO por 2 a 0 na Arena da Amazônia Vivaldo Lima, em duelo válido pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro da Série D. O resultado garantiu ao Leão da Vila Municipal a primeira colocação no grupo A1, com quatro pontos conquistados.

Jogando com o apoio da torcida, o Nacional partiu para o ataque já nos primeiros minutos de jogo. Logo aos quatro, o meia Charles recebeu na intermediária e arriscou. Apesar de ter ido no meio do gol, a bola complicou a vida do arqueiro Naldo, que não conseguiu encaixar e deu rebote na marca do pênalti. Livre, o atacante Felipe chegou rapidamente na pelota, porém, de forma bisonha, furou na hora de abrir o placar.

A jogada não abalou o rápido ataque leonino. Dois minutos mais tarde, foi a vez de Júnior Paraíba desperdiçar uma boa chance de marcar. Após receber passe de Charles, o camisa 9 finalizou cruzado, mas errou o alvo.

Mostrando que não veio a Manaus para passear, o Vilhena respondeu aos 12 da primeira etapa. A jogada começou na esquerda após cruzamento de Cacau. A zaga nacionalina não conseguiu afastar e o zagueiro Marcelo, livre, finalizou a direita da meta defendida por Rodrigo Ramos.

O nível técnico do jogo era bom. Aos 15 minutos, o camisa 10, Danilo Rios arrancou pelo meio, passou por dois marcadores e foi parado por falta na meia-lua da grande área. Na cobrança, o próprio jogador bateu e obrigou Naldo a espalmar para escanteio. Na cobrança, o lateral-direito Peter colocou na cabeça de Felipe, que desviou por cima do gol.

O Leão da Vila Municipal mostrava mais qualidade e vontade dentro de campo. Aos 28 minutos, o meia Danilo Rios desarmou Cabixi no meio-campo e puxou um rápido contra-ataque. Com categoria, o canhoto deixou Júnior Paraíba de cara com o goleiro Naldo, porém, a finalização saiu fraca, o que facilitou a defesa.

Estreando com a camisa do Nacional, o volante Lusmar mostrou qualidade em vários momentos do primeiro tempo. Técnico, o camisa 7 começava as melhores jogadas ofensivas do Leão. Aos 39 minutos, Lusmar lançou Felipe na direita. O atacante cruzou e Júnior Paraíba pegou de primeira. A finalização foi no meio do gol, facilitando a defesa de Naldo.

Expulsão

Após o término do primeiro tempo, na saída para os vestiários, o goleiro Naldo, que já tinha recebido cartão amarelo, foi na direção do árbitro Mayron dos Reis para reclamar do primeiro cartão que recebeu. Obedecendo a nova determinação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o “homem de preto” deu o segundo amarelo ao arqueiro, o que deixou o Vilhena-RO com 10 homens em campo.

Jogo

Com um jogador a mais em campo, o Nacional, que já era melhor na partida, passou a dominar a posse de bola e pressionar. Não demorou para o Leão da Vila Municipal abrir o marcador. Aos cinco minutos, Danilo Rios cruzou e encontrou Peter na segunda trave. O lateral só teve o trabalho de cutucar para as redes e saiu para comemorar seu primeiro gol na Série D.

Apesar da vantagem no placar, o Nacional continuou pressionando, porém, passou a trabalhar mais os ataques. As diversas trocas de passe no setor ofensivo envolveram a defesa do time rondoniense. Aos 12 minutos, Danilo Rios recebeu livre e encheu o pé. Wagner conseguiu defender em dois lances a finalização.

Aos 24 minutos foi a vez de Júnior Paraíba perder mais uma chance. O camisa 9 recebeu belo passe de Charles, mas chutou em cima do goleiro adversário.

O Nacional jogava fácil. Com um atleta a mais, os comandados do técnico Aderbal Lana aproveitavam para triangular em busca do momento certo para finalizar e ele apareceu aos 32 minutos. Na direita, Danilo Rios achou Charles, livre dentro da área. Apesar de bem posicionado, o meia preferiu rolar para Júnior Paraíba na esquerda. Sem marcação, o atacante só encostou para marcar o segundo do Naça.

Após o apito final, o técnico Aderbal Lana elogiou as atuações de Lusmar e Felipe. Para o comandante, ambos os jogadores mostraram ter qualidade e personalidade, porque não sentiram o peso de atuar pelo Nacional na arena.

“O Nacional soube administrar a vantagem de jogar com um jogador a mais. Trocou passes e esperou o momento certo para atacar. Fiquei feliz com o Lusmar e Felipe, porque se não desse certo, a torcida ia meter cacete em mim. Mexi em uma equipe que já tem uma base campeã, porém, sei que eles são jogadores que tem nível para entrar e ajudar o Nacional”, afirmou Lana.

Por Thiago Fernando

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir