Esportes

Nacional pega Genus para se manter invicto no ano

Heriberto (calção branco) ainda não viu sua equipe jogar de maneira convincente – Foto: Ione Moreno

Heriberto (calção branco) ainda não viu sua equipe jogar de maneira convincente – Foto: Ione Moreno

Mais variação no ataque. Esse tem sido um dos aspectos que o técnico Heriberto da Cunha tem tentado implantar na equipe para o duelo do Leão da Vila Municipal contra o Genus-RO, neste domingo, às 16h, na Arena da Amazônia Vivaldo Lima. Depois de seguidas vitórias em amistosos e a conquista do troféu Leão Forte da Amazônia em cima do Remo, o clima no Nacional tem sido de descontração entre os jogadores e membros da comissão técnica.

“Aos poucos estamos definindo a equipe. Já temos uma base formada. Os dois homens lá da frente, a defesa e o meio campo têm mantido uma performance muito boa. E agora, aos poucos, a gente vai definindo. Ainda estamos buscando formações diferentes no nosso ataque, para quando chegar na hora do jogo termos mais opções”, Cunha.

Após seguidos trabalhos com ênfase na parte técnica da equipe, o comandante leonino concluiu que para acontecer uma boa evolução na partida deste domingo, o time precisa focar em outros aspectos do jogo. “São três conjuntos que devem andar juntos: a parte física, técnica e tática. Não adianta estarmos bem tecnicamente se o físico e o tático não está bem. Não adianta estarmos bem tecnicamente e taticamente se fisicamente não temos força para jogar. Então, é importante que esses três conjuntos estejam andando na mesma linha, para que possamos ter uma equipe bastante compactada, criativa e com desenvoltura”, destaca.

Cunha se diz satisfeito com a forma com que sistema defensivo tem se comportado nos amistosos, e ressaltou que o ataque do time tem um papel fundamental para que isso aconteça. “Estamos nos comportando bem. A recomposição da equipe tem sido muito boa. Para você ter uma boa defesa, você precisa ter um ataque que recomponha e que ajude a marcar”, aponta.

Para este duelo, o comandante nacionalino não poderá contar com o atacante Sandrinho, que se contundiu no duelo diante do Remo. Substituído durante o jogo com os paraenses, o atacante Wanderley reclamou de dores musculares, mas treinou forte durante a semana e deve estar em campo. Quem também deve voltar a atuar é o zagueiro Vitor, que se recuperou de uma dengue.

“O time está focado, estamos muito mais confiantes, ainda mais depois da vitória contra o Remo, que as pessoas diziam que era a equipe que vinha aqui e acontecia, e provamos que não é bem isso. Estamos muito mais confiantes e a cada dia a equipe está mais fechada”, afirma atacante Rafael Silva.

Ingressos

Os ingressos para o confronto custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Este será o quinto amistoso do Nacional na pré-temporada. A equipe comandada pelo técnico Heriberto da Cunha venceu São Raimundo/PA e Penarol/AM, ambos por 2 a 0, o Fast Clube/AM por 2 a 1 e, no último domingo (14), conquistou a taça Leão Forte da Amazônia ao vencer, nos pênaltis, o Remo/PA por 5 a 3.

Genus apostou forte na preparação

Atual campeão rondoniense, o Genus-RO chega a Manaus para disputar mais um amistoso no ano. O jogo servirá de preparação para as duas equipes, que 2016 representarão seus Estados em competições nacionais (Copa do Brasil e Copa Verde). Além disso, ambos os clubes têm algo em comum: a pré-temporada começou com bastante antecedência.

O Genus está em pré-temporada desde o dia 20 de janeiro, sob o comando do técnico Claudemir Pontin e pelo preparador físico, Marcelo Nogueira, enquanto o Nacional começou no dia 9 de dezembro. Neste começo de ano, o Genus já disputou sete amistosos, com destaque para o confronto diante do Londrina, onde a equipe rondoniense venceu por 2 a 1.

Para se manter no topo, após o título estadual, a diretoria do Genus decidiu investir forte na temporada de 2016. Em virtude da maior estrutura atrelada à possibilidade de realizar amistosos contra equipes fortes, o aurigrená da capital decidiu realizar toda a pré-temporada em Arapongas, interior do Paraná, resultado da parceria entre Genus e Nacional de Rolândia. No total, 22 jogadores foram contratados para fazer parte do elenco.

Os trabalhos se iniciaram no dia 20 de janeiro, sob o comando do técnico Claudemir Pontin e do preparador físico Marcelo Nogueira. A boa relação do técnico do clube com os clubes paranaenses proporcionou ao Genus diversos amistosos de alto nível. O clube jogou contra várias equipes paranaenses: Londrina (duas vezes), Portuguesa, Cambé, Apucarana, Paranavaí e Cianorte.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir