Esportes

Nacional encara Penarol em amistoso no Zamithão

Para Heriberto da Cunha, o importante é o Nacional vencer, criar boas oportunidades e não dar chance para o adversário – foto: Ione Moreno

Para Heriberto da Cunha, o importante é o Nacional vencer, criar boas oportunidades e não dar chance para o adversário – foto: Ione Moreno

Com quatro torneios pela frente – Copa Verde, Copa do Brasil, Série D do Campeonato Brasileiro e o Amazonense -, o Nacional vem tentando encontrar o melhor esquema tático para utilizar nesta temporada. Sem ter o Estadual no primeiro semestre, o Leão da Vila Municipal teve que recorrer aos amistosos para adquirir ritmo de jogo e entrosamento. Neste domingo, o adversário será a equipe do Penarol. A bola vai rolar às 16h, no estádio Carlos Zamith, localizado no bairro Coroado, Zona Leste de Manaus.

Em 2016, o Nacional ainda não sabe o que é perder. Em cinco jogos amistosos, o time comandado pelo técnico Heriberto da Cunha obteve quatro vitórias (São Raimundo, Penarol, Fast e Genus) e empatou uma vez (Remo). A julgar pelos resultados, seria justo dizer que o Leão da Vila Municipal está atravessando um bom momento e deixando sua torcida satisfeita. Porém, não é isso que vem acontecendo. Apesar dos resultados positivos e a alta taxa de aproveitamento (86,6%), a equipe vem sendo duramente criticada por sua claque.

Não diferente de outros tempos, a diretoria do Nacional decidiu apostar na mesma fórmula utilizada nos últimos anos. Contratou um técnico de fora do Estado e recheou o elenco com atletas de fora da região Norte e pouco conhecidos do público baré.

O baixo nível técnico das partidas vem incomodando o técnico Heriberto da Cunha. Após a partida contra o Genus-RO no último domingo (21), o treinador admitiu que está sentindo falta de criatividade na equipe e que a diretoria está procurando um meia que chegue para assumir o posto de camisa 10.

“Claro que entendemos a reclamação sobre a equipe. Estamos com dificuldades para criar jogadas. Jogamos com Álvaro na posição. Ele foi bem. O Rodrigo (Dantas) é um jogador que necessita ser abastecido para render. Estamos procurando um camisa 10, porém, não está fácil. Os jogadores estão atuando em outros campeonatos e fica difícil tira-los de lá agora”, explicou Cunha.

Para o confronto diante do Penarol, Heriberto deve repetir a mesma escalação utilizada no último amistoso, contra o Genus. Assim, o quarteto de ataque formado por Charles, Álvaro, Renato Silva e Rodrigo Dantas terá uma nova oportunidade de mostrar trabalho e convencer a exigente torcida leonina.

No treino de sexta-feira (26), o comandante não contou com o zagueiro Vitor, o meia Railson e o atacante Sandrinho que estão entregues ao departamento médico do clube. O atacante Wanderley treinou normalmente, ainda sob observação do preparador físico, Hudson Barros. Já o lateral Nego está totalmente integrado ao grupo, participando das últimas atividades da semana.

Reforço
Treinando no clube desde janeiro, a contratação do zagueiro Bianor Neto foi oficializada apenas na última quinta-feira (25). Com passagens pelo Fast, Rio Negro e Paraná (PR), o jovem jogador é filho do ex-atleta Ney Júnior. Com um futuro promissor, o defensor chega para lutar por uma vaga na zaga titular do Nacional.

Por Thiago Ferando

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir