Política

Na reta final, Lula pede pelo menos dois votos a governadores pró-Dilma

Ex-presidente Lula durante evento com movimentos sociais em Brasília - foto: divulgação

Ex-presidente Lula durante evento com movimentos sociais em Brasília – foto: divulgação

Numa espécie de esforço final, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou parte da manhã deste domingo (17) ligando para governadores aliados ao Planalto e pedindo que cada um deles conseguisse reverter ao menos dois votos contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O movimento chegou ao grupo duro do vice-presidente Michel Temer (PMDB) e foi avaliado como sinal de desespero. No Congresso, mesmo entre petistas, acredita-se que a cartada final do ex-presidente surtirá pouco efeito na votação em curso no plenário da Câmara.

Lula, que retornou neste domingo a Brasília, também centrou esforços em conversas com aliados que já haviam se declarado favoráveis a Dilma durante a semana. A esses, o ex-presidente voltou a se comprometer que, caso o impeachment seja barrado, o ex-presidente “mudará o governo”.

Nas últimas horas antes do início da votação no plenário da Câmara, o governo perdeu alguns votos, e Lula se movimentou no sentido de “reafirmar os acordos”.

Após a ofensiva do fim da manhã e do horário do almoço, Lula foi ao Palácio da Alvorada se reunir com a presidente Dilma e alguns de seus assessores. Dentro da residência oficial da Presidência da República, Dilma e ministros têm se dividido em salas separadas para receber o maior número de parlamentares e dirigentes partidários possíveis.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir