Dia a dia

Na Ponta Negra, 2º ‘Grito da Paz’ chama a atenção para os atos de violência sexual contra crianças

O grupo hoje trabalha também com um abrigo chamado de ‘Coração do Pai’, que acolhe crianças indígenas - foto: Marcio Melo

O grupo hoje trabalha também com um abrigo chamado de ‘Coração do Pai’, que acolhe crianças indígenas – foto: Marcio Melo

Munidos de cartazes e banners, cerca de 30 pessoas participaram na manhã deste domingo (28) da segunda edição do ‘Grito da Paz’, realizado pelo grupo ‘Por Amor’, no anfiteatro da Ponta Negra, Zona Oeste, buscando chamar a atenção da sociedade para a prática do abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes no Amazonas.

O coordenador do grupo, Ely Barbosa, diz que, nos quatros primeiros meses deste ano, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) registrou 300 casos de crianças abusadas ou explorada sexualmente, porém, esse dado é muito maior.

“Sabemos que esses dados não são reais. Temos um número muito maior, mas a inibição da denúncia e o medo de expor é grande, devido à maioria dos casos serem intrafamiliares, ou seja, dentro das próprias casas, por pessoas em que quem confiam”.

A ideia de Ely Barbosa é reunir grupos de amigos com cartazes para trazerem mensagem, chamando a atenção das pessoas que fazem caminhada na Ponta Negra, e no futuro chegar até as autoridades, para criarem punições mais severas. “Hoje, não temos ações definidas e, por isso, estamos em buscas de apoio das organizações e principalmente do poder público, para que a nossa voz possa chegar até eles, trazendo diferença na nossa cidade”, ressaltou.

O grupo hoje trabalha também com um abrigo chamado de ‘Coração do Pai’, que acolhe crianças indígenas, vítimas de abusos sexuais, maus-tratos e abandono pelos pais, por conta de defeitos físicos.

“Estamos também abrindo uma casa em Iranduba, porque lá o índice de tráfico sexual é grande. Temos uma outra instituição no município de Anori, que resgatou 35 crianças que sofreram esse tipo de violência ou trabalho escravo. O Centro Missionário Esperança, Amor e Resgate trabalha com dez voluntários, levando todo os tipos de ensinamento, como aulas de reforço, dança e tetro, para resgatar os nossos pequenos”, destacou Barbosa.

A 1º edição do ‘Grito de Paz’ aconteceu ano passado, com o intuito de protestar contra a série de 38 homicídios ocorridos em Manaus no mês de agosto. Em outubro do mesmo ano, o ‘Por Amor’ organizou o manifesto ‘Paralisa – Chega de Corrupção’, na praça Heliodoro Balbi, ocasião em que foram coletadas assinaturas para o projeto ‘10 medidas contra a corrupção’, criado pelo Ministério Público Federal (MPF).

Por Diogo Dias

Jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir