Economia

Na contramão da crise, Hines investe R$ 300 mi em parque de distribuição no PIM

Com geração de 500 empregos diretos, a obra está com 40% de sua estrutura executada e tem previsão de entrega em abril de 2016 – foto: divulgação

Com geração de 500 empregos diretos, a obra está com 40% de sua estrutura executada e tem previsão de entrega em abril de 2016 – foto: divulgação

Apesar da crise, cerca de 500 empregos diretos e até 2.000 indiretos estão sendo gerados na construção do novo Distribution Park Manaus (DPM), situado no bairro Distrito Industrial 1, Zona Sul da capital.


A obra está com 40% de sua estrutura executada e terá três fases de entrega, sendo elas em dezembro deste ano, fevereiro de 2016 e abril de 2016.

O projeto tem investimentos de aproximadamente R$ 300 milhões e acontece em meio ao grande número de demissões nos segmentos industriais da Zona Franca, como uma aposta da empresa internacional Hines, especializada em investimentos imobiliários, desenvolvimento e gerenciamento de propriedades.

De acordo com o diretor de Projetos da Hines, Jeremy Smith, a organização descarta redução nos aportes de capital no empreendimento, apesar do momento de retração econômica.

“O parque industrial está sempre recebendo novos investimentos de empresas que acreditam no Brasil. Em momentos difíceis da economia aparecem boas oportunidades. É o que ocorre com o Distribution Park Manaus III, que está sendo construído agora para ser entregue no início de um novo ciclo de crescimento da economia”, afiançou.

Localizado no Distrito Industrial 1, área mais antiga e com maior concentração de unidades em todo o parque industrial manauense, o novo projeto terá capacidade para três galpões com 28 módulos e mais de 130 mil metros quadrados de área locável, com alta tecnologia nas construções.

“Desde o primeiro investimento em Manaus, procuramos um terreno na região do Distrito Industrial para colocar a marca ao lado das maiores indústrias da cidade e oferecer galpões com especificações internacionais para estas grandes empresas. Após seis anos da chegada em Manaus, alcançamos nosso objetivo e a equipe do projeto está muito contente com a evolução da construção e o feedback”, concluiu Smith.

Com informações da assessoria

1 Comment

1 Comment

  1. João Carlos Fernandes

    1 de julho de 2015 at 20:47

    Condomínios logísticos serão uma tendência. Basta comparar com o México que tem uma economia menor que a do Brasil e um mercado sete vezes maior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir