Economia

Mutirão abastece cofres públicos com R$ 9,2 mi, em Manaus

O subsecretário informou ainda, que 19.679 contribuintes se cadastraram para fins de negociação, e os valores totais negociados foram de R$ 80,1 milhões - foto: divulgação

O subsecretário informou ainda, que 19.679 contribuintes se cadastraram para fins de negociação, e os valores totais negociados foram de R$ 80,1 milhões – foto: divulgação

O programa que possibilitou a negociação de dívidas e a concessão de descontos a contribuintes inadimplentes com o fisco municipal foi encerrado nesta sexta-feira (18) com arrecadação de mais de R$ 9,2 milhões. Lançado há um mês, a campanha “Mutirão da Dívida Zero” foi avaliado de forma positiva  pela Prefeitura de Manaus.

Segundo o subsecretário da Receita da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef), Francisco Moreira Filho, o balanço que estava registrado até o fechamento desta edição apontou que a arrecadação realizada com a campanha foi de R$ 9,2 milhões. O subsecretário informou ainda, que 19.679 contribuintes se cadastraram para fins de negociação, e os valores totais negociados foram de R$ 80,1 milhões.

De acordo com o secretário da Semef, Ulisses Tapajós, o mutirão aconteceu em um momento oportuno. Segundo ele, em um cenário de crise econômica, o programa foi uma boa oportunidade para quem estava com dívidas. “Foi excelente. A população compareceu e participou. Foi uma oportunidade para todo mundo resolver as pendências e sair das listas negativas do SPC, Serasa e outros. Foi uma experiência muito saudável”, afirmou.

Balanço final

Segundo o secretário, um balanço geral com os números finais da campanha “Mutirão da Dívida Zero” será divulgado no próximo dia 21 de setembro. O programa foi realizado em uma ação conjunta entre a Semef e a Procuradoria Geral do Município (PGM). Os pagamentos também foram parcelados e com descontos de até 80%.

Alguns consumidores que estavam inadimplentes aproveitaram o período do mutirão para deixar o nome “limpo na praça”. O micro empresário Ivan Torres, 42, exaltou a iniciativa da campanha.

Ele afirmou que buscou sanar as pendências financeiras para se livrar da inadimplência. “Consegui negociar e comecei a pagar muitas contas por causa da campanha. Estava difícil de realizar o pagamento, pois pensava na crise financeira, mas no meu caso parcelei a dívida em três vezes e tive os 70% de desconto”, observou Torres.

A Prefeitura de Manaus não deverá realizar essa campanha no próximo ano devido às eleições municipais. A realização da campanha pode configurar-se como “compra de votos”.

Por Asafe Augusto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir