Dia a dia

‘Musas do crime’ são presas por furtar residências e cão de raça

A dupla furtava roupas das quitinetes e uma delas ainda publicava, nas redes sociais, a foto usando as vestes – Fotos: Divulgação

Fabrícia Correia Fontenele, 24, e Ádria Marinho Martins, 21, foram apresentadas, nesta quinta-feira (20), no 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), situado no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. A dupla, que é conhecida por furtar quitinetes na área, foi presa por furto qualificado e associação criminosa após dois meses de investigações.

O titular do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), delegado Jeff David Mac Donald, informou que Ádria foi presa, nesta quarta-feira (19), às 10h, na residência dela, situada na rua Natal, bairro Compensa, Zona Oeste. No mesmo dia, às 15h, Fabrícia foi interceptada em uma via pública do mesmo bairro. Ela estava em um táxi e tinha o objetivo de fugir para o município de Autazes (distante a 113 km de Manaus).

“Tudo começou com um furto de uma residência, onde elas levaram todos os bens materiais e também um cachorro da raça Pinscher de uma das famílias”, destacou.

Elas furtavam quitinetes na Zona Norte

De acordo com o delegado, elas eram conhecidas por usar em todos os assaltos, um veículo, modelo Ford Fiesta, de cor prata, que era roubado. Além disso, Mac Donald disse que elas costumavam bater antes nas portas, para confirmar se havia alguém nas residências.

“Elas escolhiam as quitinetes que queriam entrar. Cada uma batia na porta de cada casa para saber se não tinha alguém. Se não tivesse, elas usavam uma chave mestra. A primeira que abria, os outros davam apoio. A Fabrícia ainda costumava usar as roupas das vítimas e publicava imagens no Facebook com os objetos. Inclusive, uma das pessoas furtadas identificou uma das suas vestes na publicação”, explicou o delegado, que ainda relatou que nenhum material foi recuperado, pois elas se desfizeram antes de serem presas.

A polícia teve acesso a imagens de segurança de um dos locais furtados, que ajudou a identificar inicialmente uma das suspeitas. As mulheres teriam ajuda de um casal, ainda não identificado. As suspeitas se negaram a passar informações sobre os demais participantes do esquema. As investigações em torno do casal vão continuar.

Após os procedimentos necessários, a dupla vai ser encaminhada para o Centro de Detenção Provisório Feminino (CDPF), situado no KM 8 da rodovia BR-174.

Manoela Moura

EM TEMPO

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top