Sem categoria

Multa faz Sindicato dos Rodoviários recuar da greve anunciada para esta terça

Com a liminar, a multa poderia chegar à R$ 300 mil  - foto: Alberto César Araújo

Com a liminar, a multa poderia chegar à R$ 300 mil – foto: Alberto César Araújo

Após liminar da desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Maria das Graças Alecrim Marinho, a paralisação de 70% da frota de transporte coletivo programada para esta terça-feira (9) foi suspensa pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM).

A multa para os trabalhadores que aderissem à greve foi estipulada em R$ 200 mil, juntamente com a caracterização do crime de desobediência. O STTRM também poderia pagar mais R$ 100 mil se praticassem qualquer tipo de movimentação em frente as garagem dos ônibus.

Segundo o presidente do STTRM, Josildo Oliveira, a suspensão da greve aconteceu pelo alto valor do despacho, mas a intenção de deixar os ônibus nas empresas continua e que será sem aviso prévio.

“Não tem sindicato no mundo que consiga paralisar com uma liminar assim, no valor de R$ 300 mil. Agora cabe a nós acatar a decisão e não comunicar ninguém da próxima vez. Se os empresários não nos pagarem o que devem, vamos fazer greve de outra forma. Não vamos fazer assembleia, nem reunião e não vamos comunicar ninguém, pois quando fazemos tudo certo, não conseguimos realizar a paralisação”, disse Oliveira.

O documento que derrubou a greve foi pedido na tarde de ontem (8) pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram). Segundo o órgão, os trabalhadores estão recebendo normalmente o ticket alimentação e vale-lanche, entretanto os sindicalistas reivindicam o pagamento integral dos benefícios, além do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e que as empresas parem de compensar horas e feriados.

Frota parada

De acordo com o STTRM, cerca de 1,5 mil coletivos ficariam nas garagens das empresas que atendem a todas as zonas de Manaus, totalizando 70% da frota que atende a capital amazonense parada. A população das Zonas Norte e Leste, que chega a aproximadamente 300 mil pessoas, seria a mais afetada.

Por Cecília Siqueira (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir