Dia a dia

Mulher que confessou ter matado idosa para roubá-la é torturada em presídio de Parintins

Na imagem, a jovem que confessou e depois negou o assassinato aoarece com o rosto sangrando - foto> Tadeu de Souza

Na imagem, a jovem que confessou e depois negou o assassinato aparece com o rosto sangrando – foto: Tadeu de Souza

Parintins (AM) – Um vídeo gravado dentro da Unidade Prisional de Parintins (369 quilômetros de Manaus) mostra a detenta Marciane Pinheiro de Souza, 20, acusada de latrocínio, sendo submetida a uma sessão de espancamento dentro da referida carceragem.

Durante a tortura, Marciane diz que não matou a aposentada Nair Magalhães, 84, e cita os nomes de dois rapazes que residem na Vila Amazônia, zona rural de Parintins.

O vídeo, inicialmente, foi postado num grupo de whatsapp e depois caiu nas redes sociais. Confira:

Durante o espancamento, um rádio é mantido em volume alto para abafar os gritos da vítima.

A promotora de Justiça Carolina Monteiro determinou a abertura de um procedimento para apurar a responsabilidade dos envolvidos no espancamento de Marciane, que foi internada nesta quarta-feira (5) no Hospital Regional Jofre Cohem, mas já recebeu alta.

O Ministério Público quer saber como as presas de Justiça têm acesso a celulares.

O crime
Marciane Pinheiro de Souza morava com a aposentada Nair Magalhães, 84, que foi morta a golpes de faca e cacetadas. A jovem confessou o crime, ocorrido na tarde do dia 30 de setembro, uma sexta-feira.

Ela disse que matou para roubar o dinheiro da aposentadoria da vítima, no valor d R$ 1.800 reais.

O crime ocorreu por volta das 11 horas da manhã, mas somente às 17 horas a mesma pediu socorro aos vizinhos, dizendo que dois homens haviam assaltado a residência e morto a aposentada.

Tadeu de Souza

Correspondente GRN

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir