Dia a dia

Mulher passa mal e morre em rua do Jorge Teixeira; uso de anabolizantes pode ser a causa

Lucilene era natural do município de  Autazes e morava em Manaus com o namorado - foto: arquivo pessoal

Lucilene era natural do município de Autazes e morava em Manaus com o namorado – foto: arquivo pessoal

A autônoma Lucilene Souza Lima, 29, morreu na tarde dessa quinta-feira (6), após passar mal, em via pública no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus. A família acredita que a mulher veio à óbito em decorrência do uso de anabolizantes.

Lucilene morava com o namorado na rua Cosmo do bairro Jorge Teixeira e saiu da residência para comprar lanche em um comércio nas proximidades. Entretanto, antes de chegar ao local, passou mal e desmaiou.

Um vizinho da mulher que passava pelo local a reconheceu e acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas resolveu não esperar pela ambulância e a levou Luciane em um carro particular para o Hospital e Pronto Socorro Platão Araújo, na mesma zona.

De acordo com a cunhada da vítima, que preferiu não ter o nome divulgado, Luciane malhava diariamente e fazia uso de suplementos alimentares. Ainda segundo a cunhada, há três semanas estava usando ampolas que acredita ser de anabolizantes.

“Ela malhava diretamente porque se achava gorda e tomava suplementos, mas recentemente a gente começou a perceber que ela estava tomando umas ampolas e toda vez que perguntávamos ela dizia que era um tratamento para a pele e não entrava em detalhes.  Acreditamos que tenha sido essa a causa da morte, porque ela nunca passou mal antes”, relatou a cunhada da vítima, completando que levou os medicamentos que Luciane tomava para o hospital e o médico informou que o gel estava corroendo os órgãos dela, principalmente o fígado.

De acordo com o registro do Instituto Médico Legal (IML), Lucilene já chegou ao hospital morta. O laudo preliminar do órgão aponta que ela teve um mal súbito e não teve a causa da morte determinada, mas será investigada. Os remédios e suplementos usados pela autônoma serão analisados.

Lucilene era natural do município de  Autazes (a 113 quilômetros da capital). O velório da autônoma está sendo realizado em igreja evangélica situada também no bairro Jorge Teixeira.

Por Mara Magalhães

Com informações de Luís Henrique

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir