Dia a dia

Mulher mata primo porque vítima não tinha drogas para oferecer na Cachoeirinha

A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu seis horas depois do crime, no SPA da Zona Sul

O autônomo Felipe Magalhães de Oliveira, de 23 anos, foi agredido e assassinado pela prima porque, segundo a polícia, não tinha drogas para oferecer. O crime aconteceu na tarde desta terça-feira (4), em um apartamento no Prosamim da Cachoeirinha onde a vítima morava. O nome e a idade da suspeita não foram divulgados.

Felipe chegou a ser encaminhado ao SPA da Zona Sul e deu entrada na unidade por volta das 18h, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no fim da noite.

Leia também: Primos são mortos em disputa pelo tráfico de drogas no Novo Aleixo

De com investigadores da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), os dois tinham o costume de usar drogas juntos. Os policiais explicaram como a suspeita foi capaz de bater no primo.

“A vítima era um rapaz franzino e a mulher tinha um porte físico maior, os vizinhos contaram que ela bateu diversas vezes a cabeça dele na parede”, informou um dos investigadores que acompanha o caso.

A mulher fugiu e até a publicação desta matéria não havia informações sobre o paradeiro da suspeita.

Daniel Landazuri
EM TEMPO

Leia mais:

Mulher é suspeita de prostituir filha de 14 anos em troca de drogas

Primos são presos por roubo a coletivo no Tarumã

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir