Dia a dia

Mulher é encontrada estrangulada em residência na Zona Sul

A vítima foi encontrada estrangulada dentro de apartamento – foto: Josemar Antunes

A vítima foi encontrada estrangulada dentro de apartamento – foto: Josemar Antunes

A funcionária pública Sebastiana Margareth de Lima, 53, foi encontrada morta em cima da cama, completamente nua e com sinais de estrangulamento, em um apartamento do Parque Residencial de Manaus – Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), bairro Praça 14 de Janeiro, Zona Sul da capital amazonense.

A polícia foi acionada por volta das 15h30 para atender a ocorrência na avenida Igarapé de Manaus, após um vizinho chamar Sebastiana por várias vezes. Segundo o radialista, que preferiu não se identificar, o morador subiu em uma escada até o segundo andar do apartamento e encontro a funcionária pública despida com sinais de falência.

“Acreditamos que a minha irmã tenha passado mal depois de receber uma notícia não muito agradável. Ela enfrentava problemas de saúde e isso pode ter provocado a morte”, argumentou o irmão da vítima.

De acordo com a perita criminal do Instituo de Criminalística (IC), o local estava todo revirado e a vítima encontrava-se despida em cima da cama e com hematomas no pescoço. Uma corda foi encontrada próximo ao corpo. Pelas informações levantadas na cena do crime, pela perícia criminal da Polícia Civil, o crime tem características de homicídio.

“A vítima apresentava marcas de agressão no pescoço. Ela possivelmente foi assassinada. Mas, o laudo de necropsia irá determinar a causa da morte”, explicou a perita.

Para os familiares, a vítima não foi assassinada e desconhecem que Sebastiana sofria algum tipo de ameaça.

Conforme vizinhos da vítima, o filho, um adolescente de 16 anos, foi baleado na madrugada desta quarta, nas proximidades do local. Ele levou um tiro nas nádegas e foi encaminhado para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul da cidade. Os vizinhos informaram que o adolescente é usuário de drogas.

O caso foi registrado no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e o inquérito policial sobre o crime será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Por Josemar Antunes

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir