Esportes

Muay-thai: Amazonas no topo do Brasil

 Lutador levou a bandeira do Amazonas ao topo do pódio- foto: divulgação


Lutador levou a bandeira do Amazonas ao topo do pódio- foto: divulgação

Bastaram três duelos para o lutador amazonense Raphael Roberto Souza, 33, evidenciar o resultado de anos de trabalho somados ao talento e conquistar o cinturão do Campeonato Brasileiro de muay-thai, em São Paulo. Além de abocanhar o título na categoria 80 quilos, ele testemunhou o amigo Valdo Gosztoniy, também amazonense, vencer na categoria 65 quilos.

Na estreia da competição nacional no final do último mês, o Amazonas subiu ao pódio duas vezes pelas conquistas de Raphael e Valdo. Raphael participou de três lutas, com três rounds e duração de dois minutos cada. “Foram lutas muito duras. Não teve luta fácil, mas fomos bem acompanhados pelo nosso treinador Nélio Atayde. Eu e Valdo fizemos três lutas e levantamos a bandeira do Amazonas no campeonato brasileiro de 2015”, disse.

Na competição, a maioria dos atletas representava Estados do Sudeste e Sul do país. Do Amazonas, estavam apenas Raphael, Valdo e o treinador Nélio Atayde. “No início ficamos intimidados, por ser nossa primeira vez no brasileiro, por estarmos longe de casa. Treinamos num calor de 40 graus aqui em Manaus e no dia da luta enfrentamos um frio de 16 graus em São Paulo. A torcida era toda para os adversários. Chegamos no ginásio as 10h, e a luta iniciou somente por volta das 16h. Foi dureza”, contou.

Contudo, o desconforto estimulado pela nuvem de insegurança não durou muito tempo. Ao ocupar o ringue, eles mostraram o porquê mereciam estar ali. Na primeira luta, Raphael desbancou um mineiro, e nos dois embates finais, venceu dois paulistas. “Meu adversário da final, que era apontado como favorito da categoria, postou no Instagram que eu era um atleta forte, parabenizou a academia Nélio Thai, o treiandor Nelio Atayde e os atletas. Ele disse também que no Amazonas existem atletas muito bons”, afirmou.

Raphael é o quinto lutador da academia Nélio Thai – localizada no conjunto Vieiralves, na Zona Centro-Sul – a conquistar o título brasileiro. “É tudo graças ao trabalho do Nélio. Ele é um treinador muito competente que sempre acredita em nós. Devo muito a ele”, reconheceu.

Raphael observa que apesar de haver treinadores experientes e alunos comprometidos, ainda há carência de patrocinadores que acreditem e invistam nos atletas. “As dificuldades são várias. Faltam mais campeonatos aqui. A maioria acontece em outros Estados e nosso custo é mais alto para que possamos participar das competições. Temos gastos com passagem aérea, hotel, alimentação, tudo tem um custo alto. Já a maioria dos atletas de outros Estados se desloca pelas rodovias e o custo é mais barato. Mas, conseguimos passar por cima de tudo isto”, informou.

O que falta de reconhecimento pelos empresários sobra no apoio dado pela família, amigos e pelos alunos da academia. “A minha maior satisfação não foi só o cinturão, mas de ver o reconhecimento da minha família, das minhas filhas com cartaz de ‘campeão’ para todos os lados em casa e ver minha mãe chorando de emoção. Foi uma coisa muito louca. Entre os meus alunos na academia também foi muito bom, nem teve treino, levaram bolo e salgadinho para comemorar. Fiquei muito feliz e expliquei a eles que foram lutas muito duras, que os adversários poderiam ter vencido e não sou super herói, foi um trabalho muito pesado e tive um treinado muito competente, o Nélio”, reconheceu.

Por Ive Rylo

1 Comment

1 Comment

  1. EDNALDO VIEIRA

    3 de setembro de 2015 at 17:12

    PARABENS! VOCES JÁ ERAM CAMPEÕES ANTES DE ENTRAR NESTE EVENTO. CONTINUEM COM FOCO…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir