Política

MPE escolhe seis nomes para a disputa no Tjam

Dos 162 membros do MP, 137 participaram da votação, que aconteceu ontem o dia inteiro – Divulgação

A lista com os nomes dos seis procuradores e promotores mais votados no Ministério Público do Estado (MPE) para uma vaga na corte do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) será enviada nos próximos dias ao tribunal, de onde sairá uma lista tríplice para o governador do Estado, José Melo (Pros). A eleição interna aconteceu durante todo o dia de ontem na sede do MP, onde 137 membros do órgão participaram da votação que foi secreta.

Dentre os 12 candidatos, o mais votado foi o atual procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro, que recebeu 28 votos, seguido do procurador José Hamilton Saraiva; da procuradora Antonina do Couto Valle; do procurador Francisco Cruz; da procuradora Jussara Pordeus; e do promotor Paulo Stélio Sabbá (ver quadro).

A composição da lista tríplice pelo Tjam acontecerá por meio de voto nominal e com fundamentação oral, no próximo mês. Esta é a terceira vaga, disponibilizada, em 30 anos, pelo critério do Quinto Constitucional para membros oriundos do MP. O penúltimo a ser escolhido por meio deste método foi o desembargador Djalma Martins e, posteriormente a desembargadora Socorro Guedes.

Ao falar sobre a boa votação, Fábio Monteiro descartou que a exposição dele na mídia tenha favorecido o resultado positivo. “Acho que ao votar, o colega leva em consideração o trabalho que está sendo realizado”, explicou. Ele admite receber a notícia com muita felicidade e informa que a eleição é atípica, porque não é para chefiar uma instituição e, sim para compor um novo Poder. “O resultado é uma demonstração de que a classe continua aprovando a nossa gestão. Fico feliz de ter disputado com colegas com muita experiência”, informou.

Para ele, a vaga de desembargador é um caminho que surge de forma natural e garantiu que, se for escolhido, ficará orgulhoso pela trajetória traçada até o momento.

Antonina do Couto Valle disse que estar entre os seis mais votados tem um sentimento especial, porque assumir o cargo de desembargadora é um sonho. “Meu pai foi desembargador e como ele teve uma morte prematura eu tenho esse ideal”, adiantou.

Jussara Pordeus afirma que estar entre os mais votados no Ministério Público já era esperado por ela. “É uma vaga muito rara de aparecer. Esta é a terceira em 30 anos. Lá no Tribunal de Justiça será outra fase e será levado em consideração, principalmente, o currículo dos participantes”, explicou a procuradora.

Fabiane Morais
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir