Política

MP do Amazonas ordena apreensão de documentos na Câmara de Parintins

O promotor chegou à Câmara Municipal acompanhado de policiais civis - foto: Iziel Pimentel

O promotor chegou à Câmara Municipal acompanhado de policiais civis – foto: Iziel Pimentel

Uma operação de busca e apreensão de documentos alvos de investigação do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) foi deflagrada durante a manhã desta terça-feira (2) na Câmara Municipal de Parintins (município distante 370 quilômetros de Manaus).

De acordo com o titular da 1ª Promotoria da Comarca de Parintins, Flávio Mota, que comandou a operação que tinha como objetivo apreender documentos importantes que estão sendo alvo de uma investigação por parte do MP-AM.

O promotor chegou à Câmara Municipal acompanhado de policiais civis. Depois de uma reunião com o presidente da Casa, Everaldo Batista, se dirigiu ao plenário onde apreendeu documentos de um vereador cujo nome não foi revelado porque a investigação está sob sigilo de Justiça.

Além de documentos pertencentes ao vereador em questão, todos os assessores do mesmo foram notificados para prestar depoimento na 1ª Promotoria de Justiça.

No princípio da noite de ontem, o presidente da Câmara Municipal, Everaldo Batista, convocou uma coletiva de imprensa para esclarecer que a investigação do Ministério Público Estadual não atinge o Legislativo como um todo, mas apenas um membro da Casa.

Presidente da Câmara Municipal concedeu coletiva no início da noite desta terça (2) - foto: Iziel Pimentel

Presidente da Câmara Municipal concedeu coletiva no início da noite desta terça (2) – foto: Iziel Pimentel

“Que fique bem claro que esse Mandado de Busca e Apreensão tem por foco apenas um vereador e não os vereadores, já li nas redes sociais que a Câmara está sendo investigada, isso não procede, repito, é um caso isolado onde o investigado é um vereador apenas”, disse o presidente Batista.

Ele ressaltou ainda que vê com naturalidade a investigação do Ministério Público Estadual. “O promotor tem todo o direito de investigar o que ele achar incorreto”.

Apesar dessa declaração do presidente da Câmara, o EM TEMPO apurou extraoficialmente que a investigação do MP-AM atinge mais dois vereadores de Parintins.

O Promotor Flávio Mota disse que só falará com a imprensa depois de concluir o relatório final da Ação Pública que originou a operação de Busca e Apreensão.

Por Tadeu de Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir