Política

MP-AM arquiva investigação sobre aumento de patrimônio de Bi Garcia

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) arquivou nesta quarta-feira (10) uma investigação que fazia contra o deputado estadual Bi Garcia (PSDB) por enriquecimento ilícito. O trabalho foi iniciado após matéria veiculada por um jornal de grande circulação em Manaus, em março de 2015, apontando que o parlamentar teria aumentado em 30% o seu patrimônio.

Na manhã desta quinta-feira (11), durante seu pronunciamento na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Bi Garcia apresentou o documento enviado pelo MP que o inocenta das acusações.

No documento, o promotor de Justiça Edilson Queiroz Martins, escreveu: “não verifico a evolução patrimonial de 30% nos bens do representado [Bi Garcia], conforme a matéria jornalística pretendeu mostrar. Ocorre que a notícia veiculada comparou tão somente os bens declarados sem qualquer fundamento, inclusive bens cujos valores os documentos acostados mostraram estarem equivocados. Trata-se, na verdade, de mais uma matéria evidenciando uma tendenciosidade de cunho sensacionalista”.

O tucano informou que apresentou todos os documentos comprobatórios, que ficaram bem esclarecidos ao MP. “Respeito o trabalho do MP de investigar, de realmente saber da verdade. Eu sempre fui muito claro em meus posicionamentos. A declaração de renda para as eleições de 2014 são referentes ao patrimônio de 2013. Já a declaração de bens para a Aleam, é com dados de 2015. Houve uma diferença, mas foi tudo explicado, com extratos bancários e comprovação de venda de alguns bens”, comentou.

O deputado também informou que fez questão de mostrar a verdade para que seu nome não seja motivo de desconfiança para os amazonenses.  “Fico feliz de repor a verdade e não ser motivo de desconfiança do povo amazonense, principalmente dos parintinenses, e para evitar esse sensacionalismo de algumas matérias que não procuram aprofundar o conteúdo”.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir