Sem categoria

Movimentação nos cemitérios, em Manaus, foi intensa na véspera ao dia de finados

A estimativa é que 500 mil pessoas visitem os seis cemitérios urbanos e os quatro rurais – foto: Marcio Melo

A estimativa é que 500 mil pessoas visitem os seis cemitérios urbanos e os quatro rurais – foto: Marcio Melo

Na véspera do feriado do “Dia dos Finados”, a movimentação foi intensa nos principais cemitérios da cidade. Para se ter uma ideia, quem tentou chegar nos cemitérios Parque Tarumã e Nossa Senhora Aparecida, teve que enfrentar um enorme congestionamento ao longo da avenida do Turismo, no bairro Tarumã, zona Oeste. Hoje (1º), a estimativa é que 500 mil pessoas visitem os seis cemitérios urbanos e os quatro rurais de acordo com a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp).

Um enorme congestionamento foi registrado na manhã deste domingo (31), na avenida do Turismo, onde grande parte dos motoristas se dirigia até os cemitérios Parque Tarumã e Nossa Senhora Aparecida. A ideia era antecipar as homenagens aos parentes e amigos que já se foram.  O tráfego já estava obstruído em frente ao parque Residencial Itapuranga 3, próximo ao posto de gasolina BR o que facilitou o trabalho de vendedores ambulantes, que se adiantaram na venda de água, flores e velas.

Em frente aos cemitérios, os motoristas também tiveram dificuldade em encontrar um local para estacionar. O canteiro central da avenida foi utilizado como estacionamento aos veículos.  Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito Manaustrans, estiveram no local para auxiliar os motoristas e evitar a parada em local proibido, que atrapalhasse ainda mais a fluidez.

Toda esta circulação no domingo, foi promovida por pessoas que buscaram evitar a tradicional lotação que ocorre no cemitério no dia dos finados. Esta foi a estratégia adotada pela acupunturista Ana Rosa Bandeira, 52, que dedicou a manhã de ontem na limpeza e decoração da sepultura do pai dela Francisco Nicácio de Lima no cemitério Parque Tarumã. “Na realidade vim hoje (domingo), porque amanhã (1º), a gente fica mais tempo dentro do carro no trânsito do que no cemitério. É muita gente e o calor é maior”, afirmou.

O pai de Ana Rosa morreu há 27 anos de enfisema pulmonar, aos 58 anos de idade. Ela contou que sempre vai ao cemitério para prestar homenagens e de alguma forma, matar a saudade da companhia do velho amigo. “Meu pai fumava muito e morreu de enfisema pulmonar. A gente nunca esquece um pai, ele era muito meu amigo. Tem sempre um filho mais chegado, neste caso era eu, porque era a mais velha. Falar do meu pai é falar de um batalhador que queria o melhor para mim e para os meus três irmãos. Da muita saudade, ele não deveria ter ido”, emociou-se.

No cemitério Nossa Senhora Aparecida, na avenida do Turismo, também se viu grande movimento. A manicure Lenice Nascimento, 45, aproveitou o domingo para visitar a sepultura da sogra dela, Benolice Gomes, que faleceu há 1 ano, quando tinha 73 anos de idade de infarto. “Viemos hoje, porque segunda-feira é muita gente e prefiro ficar em casa para descansar, porque na terça-feira eu trabalho”, disse.

Acompanhada do esposo, ela diz guardar boas lembranças da sogra. “Morávamos na mesma casa. Ela só teve um filho que é o meu marido. Era uma boa sogra, sempre dedicada”, afirmou.

Do outro lado da cidade, no cemitério São João Batista, no bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul, o vai e vem de veículos e de pessoas surpreendeu. De acordo com informações repassadas pelos trabalhadores do cemitério, desde sexta-feira (30) que parentes tem lotado o cemitério para fazer as homenagens aos mortos.

A bióloga Rosa Maria Gonçalves, 58, visitou os jazigos da mãe, Maria das Dores Frasco, do pai Manoel Moreira Frasco, do irmão Manoel Frasco, da tia Beatriz Gonçalves e de alguns amigos. “Esta tradição é uma questão de respeito aos que já se foram. É uma tradição que passa de geração para geração”, disse.

A antecipação das homenagens se deu para evitar o congestionamento comum do dia dos finados. “No feriado vem muita gente, é difícil chegar e fora o calor do sol e das velas”, argumentou.

No último sábado (31), de acordo com a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), cerca de 60 mil pessoas visitaram os cemitérios da capital.

Missa dos finados

As missas dos finados estão programadas para serem realizadas em cinco cemitérios da cidade, a partir das 7h. A missa campal acontece às 18 h, na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré e será rezada pelo Arcebispo de Manaus, Dom Sérgio Castriani. A igreja fica na avenida Mário Ypiranga, 700, no bairro Adrianópolis.

Ao longo de toda esta segunda-feira (1º) serão realizadas missas nos cemitérios São João Batista, na avenida Álvaro Maia; no cemitério Santa Helena, no bairro São Raimundo; São Francisco, no bairro Morro da Liberdade; no cemitério Nossa Senhora da Piedade, no quilômetro 5 da AM-010 e no cemitério Santo Alberto, no bairro Colônia Antônio Aleixo.

Por Ive Rylo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir