Sem categoria

Mototaxistas protestam contra restrições e querem liberação para trafegar na Faixa Azul

A categoria quer liberação para circular não só no Centro, mas também na ponte Rio Negro e Aeroporto – foto: Mechelle Freitas

A categoria quer liberação para circular não só no Centro, mas também na ponte Rio Negro e Aeroporto – foto: Mechelle Freitas

Um grupo de pelo menos 300 mototaxistas protestou na manhã desta terça-feira (15), em frente à sede da Prefeitura de Manaus, bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, pedindo a liberação da circulação da categoria pelos corredores ‘ faixa azul’, exclusivos para ônibus articulado, táxi, ambulâncias e viaturas da polícia e Corpo de Bombeiros, assim como no Centro da cidade e outras áreas.

A manifestação teve início volta das 7h30, na alameda do Samba, Dom Pedro, também Zona Oeste, e, por volta das 9h, o grupo seguiu até á desse do executivo municipal.

Entre as reivindicações da categoria estão o aumento do quadro de funcionários da Superintendência Municipal de Transportes (SMTU) para fiscalizar os mototaxistas clandestinos; a realização de convênios com a Polícia Militar para que possam coibir assaltos às motocicletas e crimes contra os profissionais; a revogação imediata da proibição de circulação da categoria no Centro, no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e na passagem pela ponte Rio Negro, com passageiros.

“Hoje não podemos trafegar na faixa azul, nem passar com passageiros pela ponte Rio Negro. Também foi publicado do Diário Oficial do Município o decreto nº 3.287, que proíbe a categoria transportar passageiros no Centro e no aeroporto. Isso é um absurdo. Queremos pedir mais fiscalização da SMTU, para coibir esses clandestinos. Além de pedir apoio da polícia militar, porque hoje somos alvo de assaltos e corrermos risco de morte”, disse o presidente do Sindicato dos Profissionais Mototaxistas de Manaus (Sindmoto), Anderson Souza.

O decreto publicado no DOM proíbe os mototaxistas de circular na área circunscrita pelas vias Leonardo Malcher, Luiz Antony, Governador Vitório, Tamandaré, Marquês de Santa Cruz, Lourenço da Silva Braga, Lima Bacuri e Joaquim Nabuco até a Rua Leonardo Malcher. Souza afirmou que os mototaxistas vão continuar circulando no Centro e irão lutar pela circulação na Faixa Azul.

“Hoje, a categoria tem 3.303 pais de família que não aceitam o que está sendo imposto. Fazemos parte da mobilidade urbana de Manaus. A SMTU não possui contingente suficiente para fazer fiscalizações”, comentou.

Para o mototaxista Franklin Matureiro, 45, a fiscalização por parte da SMTU deveria ser maior, uma vez que a categoria investiu alto para se regularizar. “Eu gastei mais de R$ 20 mil com equipamentos, manutenção da moto e pagamento de documentos, porém, hoje, existem diversos mototaxistas clandestinos atuando sem ter nenhuma fiscalização. Não podemos mais aceitar isso”, reclamou.

A categoria protocolou, na sede da prefeitura de Manaus, o documento com as pautas reivindicadas por eles. Em seguida foram até o Centro da cidade, onde fecharam por alguns minutos parte da avenida Eduardo Ribeiro, mas proximidades da Praça da Matriz e deram continuidade ao protesto.

Por Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir