Dia a dia

Mototaxistas pedem cancelamento de licitação e acusam SMTU de fraude

Um grupo de aproximadamente 50 mototaxistas realizou um protesto na manhã desta quarta-feira (12) em frente a sede da prefeitura de Manaus contra o resultado da etapa classificatória da segunda licitação para os serviços de mototáxi na capital amazonense. Os manifestantes acusam o Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) de fraudes na pontuação e pedem o cancelamento do processo pelo município.

Os líderes do movimento afirmam que muitos ficaram de fora da lista, divulgada no último dia 7, porque perderam pontos devido a erros na contagem do sistema. Eles também afirmam que as fraudes acontecem desde o começo da concessão e insinuam que os licitantes da lista anterior foram beneficiados irregularmente.

Conforme os manifestantes, que também exigem a formação de uma nova comissão para acompanhar a concorrência, a Defensoria Pública do Estado (DPE) foi procurada no dia 19 de junho para impedir o anúncio dos nomes desta segunda licitação por conta das supostas irregularidades.

Segundo o presidente do Sindicato dos Profissionais Mototaxistas de Manaus, Anderson Souza, o grupo de protestantes é encabeçado por pessoas que estão tentando tumultuar o processo de regularização da categoria e são pessoas que aproveitaram a falha no sistema para tentar quebrar o processo licitatório.

“Os licitantes que se dizem prejudicados, são pessoas que não têm condições de participar. A pontuação exigida no certame é no mínimo 60 e alguns deles alcançaram entre 30 e 35. O próprio SMTU informou que houve erro no sistema, mas a situação vai ser solucionada. Hoje teremos uma reunião no órgão para ver como isso vai ficar. Não podemos mais perder tempo”, informou o sindicalista.

De acordo com Souza, o ato é um ‘tiro no pé’ para os que estão buscando pelo cancelamento da lista divulgada. “Eles estão desesperados com isso. Não tem como ter fraude, é um processo que foi visto e acompanhado por uma comissão competente. A categoria não apóia essa manifestação e espera que esse processo termine logo para que possamos avançar para a fase das fiscalizações”, disse Souza.

A reportagem do EM TEMPO entrou em contato com a SMTU, mas até o fechamento não houve respostas quanto às medidas a serem tomadas para solucionar o erro na contagem de pontos e DPE também não respondeu se foi procurada pelos mototaxistas.

Um total de 2.579 profissionais foram classificados nesta segunda licitação. Foram disponibilizadas 1.635 vagas. O resultado pôde ser conferido no Diário Oficial do Município (DOM).

Por meio de nota, a  Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) disse que o prazo para a interposição de recursos da licitação do serviço de mototáxi, que teria início nesta quarta-feira (12). A lista de pontuação e classificação publicada no Diário Oficial do Município (DOM), na sexta-feira (07) está sendo revista pela Comissão Especial de Licitação (CEL) e deverá ser republicada, assim como o novo prazo para a interposição de recursos.

Por Cecília Siqueira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir