Sem categoria

Motoristas de categorias diversas protestam conta buraqueira nas ruas do Distrito

O protesto ocorreu na avenida Buriti, uma das mais esburacadas do bairro – foto: colaborador AET

O protesto ocorreu na avenida Buriti, uma das mais esburacadas do bairro – foto: colaborador AET

Canados da buraqueira em que se transformaram as ruas do Distrito Industrial, na Zona Sul de Manaus, pelo menos 20 representantes de categorias que trafegam pelas vias realizaram na manhã desta quinta-feira (3) um protesto na avenida Buriti, pedindo a manutenção das ruas do bairro, que estão praticamente intrafegáveis.

Com carro de som e cartazes, representantes do Transporte Especial (Sindespcial), Sindicato dos Metalúrgicos (Sindmetal), Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário em Manaus (STTRM), taxistas e mototaxistas, protestaram de forma pacifica e receberam apoio de diversos motoristas que passavam pelo local.

O presidente do Sindespecial, William Enock, informou que já está programando, junto com os demais sindicatos, uma paralização geral para a próxima sexta-feira (11), na rotatória da Suframa e no Armando Mendes, caso nenhum órgão responsável tome providências.

“Estamos fazendo essa manifestação para chamar atenção do poder público, devido à situação das ruas do Distrito Industrial, principalmente na avenida Buriti, que está intrafegável”, disse.

protesto-Distrito-4-Samara-Souza

Enock reclamou que, devido os buracos, os veículos das empresas do Distrito acabam danificados e, por conta disso, os donos, estão descontando o prejuízo do salário dos motoristas.

“Os trabalhadores não aguentam mais. Os motoristas das empresas do Distrito Industrial passam diariamente por essas ruas e não têm como desviar a rota. Muitas vezes, os trabalhadores acabam chegando atrasados e ainda temos o prejuízo com os carros, que danificam e somos punidos em nosso salário”, comentou.

William Enock afirmou que o problema da falta de manutenção das vias do Distrito Industrial é antigo, mas nesse período de chuvas, a situação fica pior, pois o asfalto cede, causando muito mais estragos. “Não queremos acusar as autoridades de nada, queremos uma solução para esse problema. Essa buraqueira vem de longo tempo, mas não está dando mais para aguentar”, desabafou.

Em nota, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou que Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) sempre procurou retirar o Polo Industrial de Manaus (PIM) da jurisdição administrativa da Prefeitura, ou seja, “nunca consultou o Executivo para tomar decisões relativas à infraestrutura”.

A nota destaca ainda que “recursos para asfaltar as ruas do DI nunca chegaram aos cofres do Executivo municipal; nas últimas duas vezes que a Suframa teve recursos em caixa para tal fim, fez convênios com o Centro das Indústrias do Amazonas (Cieam) e com o governo do Estado; o asfaltamento completo do DI custa algo em torno de R$ 100 milhões. Hoje, a prefeitura não dispõe deste recurso. A prefeitura não se furta a asfaltar as ruas do Distrito, desde que o governo Federal repasse os recursos para que o trabalho seja feito”.

A reportagem também procurou ouvir a Suframa, mas, até o momento desta postagem, não obteve retorno à demanda.

Por Michelle Freitas

Texto atualizada às 10h para inserção de informações

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir