Dia a dia

Motoristas aprovam suspensão da Faixa Azul

A implantação da Faixa Azul, ou corredores preferenciais, tem embasamento em legislações federal e municipal de mobilidade - foto: Márcio Melo

A implantação da Faixa Azul, ou corredores preferenciais, tem embasamento em legislações federal e municipal de mobilidade – foto: Márcio Melo

Quatro dias após a sua implantação, a Faixa Azul da avenida Max Teixeira, na Cidade Nova, Zona Norte, foi suspensa desde a meia-noite de segunda-feira (26). Por meio de nota a Prefeitura de Manaus informou que o corredor exclusivo ficará suspenso em toda sua extensão até o Terminal de Integração 3 (T3), na Cidade Nova. A retenção no referido trecho, principalmente, na área da rotatória do Manoa, contribuíram para a suspensão da Faixa Azul, até a realização de novos estudos de engenharia na área.


Diferente do cenário de engarrafamento que foi visto nos últimos quatro dias, nesta segunda-feira, o tráfego de veículos na avenida Max Teixeira, fluiu normalmente, sem nenhuma retenção. A suspensão do corredor exclusivo, foi aprovada pelos motoristas que utilizam a via diariamente.

O administrador de empresas Júnior Teixeira, 40, foi um dos que aprovou a medida. “Na sexta-feira (23) passei por aqui e fiquei muito irritado com a lentidão no trânsito. A Faixa Azul ficou praticamente inutilizada, porque poucos ônibus de fato trafegavam por ela. Enquanto isso, as pessoas que realmente precisam chegar ao trabalho ficaram prejudicadas”, avaliou.

O técnico em eletrônica Paulo Santos, 31, também aprovou a suspensão do corredor exclusivo. Segundo ele o trajeto é sua rotina diária para ir ao trabalho e ele se sentiu prejudicado após a liberação da Faixa Azul. “Eu me senti prejudicado porque eu levava menos tempo para chegar ao trabalho e de repente tive que enfrentar um congestionamento gigante. Acho que eles deveriam suspender esse corredor exclusivo até arrumarem um modo de não prejudicar a população”, comentou.

A universitária Larissa Paz, 28, conta que todos os dias utiliza a Max Teixeira para ir a faculdade. Mas desde que o corredor exclusivo entrou em operação, ela sentiu dificuldade para chegar rápido ao seu destino. “Antes eu levava menos tempo para chegar na faculdade, mas quando a Faixa Azul começou a vigorar ficou bem complicado. Eu fiquei muito contente em saber que nessa segunda-feira ela foi suspensa por tempo indeterminado. Espero que as nossas autoridades tomem consciência de que não podem punir a população. Eu sei que as pessoas que dependem de ônibus se sentiram mais beneficiadas com a exclusividade, mas não se pode deixar o outro lado, que usa veículo particular, prejudicado”, opinou.

Legislação e determinação judicial

A implantação da Faixa Azul, ou corredores preferenciais, tem embasamento em legislações federal e municipal de mobilidade. Ao priorizar o transporte coletivo, cumpre-se a Lei nº 12.587/2012, além da cidade estar se adequando ao Plano de Mobilidade Urbana (PlanMob), aprovado ano passado.

A ampliação da Faixa Azul para outras zonas geográficas da cidade foi definida durante audiência de conciliação, do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam), pelo Juízo da 2º Vara da Fazenda Pública Municipal, atendendo ação movida pelo Ministério Público do Estado (MPE-AM).

Por Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir