Dia a dia

Motorista é assassinado durante assalto em terminal de linha na Zona Norte; fato gerou protesto

Márcio foi morto com golpes de faca no tórax - foto: divulgação

Márcio reagiu ao assalto e foi morto com golpes de faca no tórax – fotos: divulgação

O motorista de ônibus Márcio Gama da Silva, 37, da empresa Rondônia Transportes, foi morto a facada, durante um assalto no ponto final da linha 448, localizado nas proximidades do Jardim Botânico, bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus. O fato aconteceu no início da noite desta sexta-feira (1º).

Conforme a polícia, várias pessoas estavam na parada de ônibus, aguardando o transporte, quando dois homens armados se aproximaram do local e anunciaram o assalto. O motorista estava no momento de descanso quando tudo aconteceu.

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) informou que “de acordo com testemunhas, os dois assaltantes chegaram ao local por volta das 18h30. Na ocasião, os criminosos levaram objetos pessoais e a renda dos cobradores. Após realizarem o arrastão, Marcio tentou reagir e os assaltantes o balearam e desferiram uma facada”.

Alguns colegas da vítima, entretanto, contestaram o fato de que ele tivesse reagido à ação dos bandidos. O fato é que, depois do crime, a dupla fugiu sem ser identificada.

O motorista ainda foi socorrido e levado para o Hospital-Socorro Platão Araújo, na Zona Leste, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Devido ao incidente, todos os ônibus que estavam no terminal de linha onde o crime aconteceu foram recolhidos às garagens por falta de segurança. O local é ponto de pelo menos cinco linhas, que operam principalmente nas Zonas Norte e Leste de Manaus.

Segundo informações do grupo Eucatur, as imagens das câmeras de segurança serão disponibilizadas para a polícia para ajudar na identificação dos suspeitos.

Protesto

Um grupo de motoristas de diversas empresas do transporte coletivo de Manaus fechou os dois sentidos da avenida Autaz Mirim, também na Zona Leste da cidade, em protesto contra a violência.

Eles gritavam pedindo justiça. “Todos os dias tem assalto, mataram mais um pai de família que estava trabalhando. Cadê a segurança”, questionavam os motoristas.

De acordo com dados do Sinetram, até o mês de novembro de 2015, as dez concessionárias que operam o transporte coletivo de Manaus registraram mais de 2,6 mil assaltos, uma média de 7 assaltos por dia. Ainda de acordo com o balanço, as empresas já haviam sofrido um prejuízo de R$ 424,8 mil.

Em nota, a prefeitura de Manaus lamentou a morte do motorista de ônibus e informou que solicitará ao Sistema de Segurança Público (SSP) do Estado rápidas respostas e ações que possam garantir a irrestrita e total segurança, tanto de profissionais, quanto de usuários do transporte coletivo da capital do Amazonas.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) investiga o caso. Até a publicação desta matéria nenhum dos suspeitos havia sido preso.

Por Mara Magalhães

2 Comments

2 Comments

  1. Maria Bezerra

    7 de janeiro de 2016 at 17:44

    Meu Deus como é difícil ver colegas sendo mortos todos os dias,onde estão os políticos que não fazem nada por nós.Sinto muito já fiz parte do sistema e por esses motivos saí,e não me arrependo disso

  2. Ana

    2 de janeiro de 2016 at 18:34

    Quando vai voltar ao normal a circulação dos ônibus. Sexta à noite voltei pra casa à pé do ouro verde até o coroado porque os ônibus pararam de circular. Sábado de manhã demorava uma eternidade passar os ônibus. Ninguém tem segurança particular. Voltem ao normal por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir