Cultura

Mostra exibe filmes que abordam homossexualidade de forma política e ousada

Na virada dos anos 1980 para a década de 1990, um conjunto de produções cinematográficas, feitas em diversos países, abordou a homossexualidade de forma política e ousada, em contraponto à visão bem-comportada dos filmes de Hollywood e da televisão. Era época em que o mundo assistia ao impacto do avanço da aids, em um contexto em que os governos ainda não sabiam como lidar com a doença.

Definidos pela expressão “new queer cinema”, usada pela primeira vez pela revista britânica Sight and Sound, esses filmes traziam um novo enfoque sobre a sexualidade, valorizando tramas sobre personagens gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros (LGBT). Destaque em festivais como os de Toronto, no Canadá, Sundance, nos Estados Unidos, e Amsterdam, na Holanda, grande parte dessa produção, no entanto, nunca foi exibida em sessões públicas no Brasil.

A partir de hoje (9) até o próximo dia 21, a mostra New Queer Cinema, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, se propõe a suprir essa lacuna. São 27 filmes, sendo 14 longas-metragens, quatro médias e nove curtas, produzidos nos Estados Unidos, no Canadá, Reino Unido e também no Brasil, que integram a mostra com um total de seis títulos. Exibida anteriormente em São Paulo, a exposição seguirá, depois do Rio, para Fortaleza, Curitiba e Salvador.

“ Queer foi uma palavra escolhida por teóricos e militantes por representar uma reapropriação da comunidade LGBT de um termo pejorativo que significava estranho, esquisito e era um equivalente ao veado, maricas e bicha brasileiro”, explicam os curadores Denilson Lopes e Mateus Nagime no texto de apresentação da mostra. Segundo eles, a nova utilização do termo e o orgulho da condição queer são fundamentais para entender o tipo de cinema exibido na mostra e o contexto em que foi realizado.

A mostra também celebra produções brasileiras realizadas recentemente, mas identificadas com os filmes queer dos anos 1980 e 1990. É o caso de O Animal Sonhado (2015), de Breno Baptista, que abre nesta terça-feira, às 19h30, a programação.

Duas mesas de debates com a participação de pesquisadores e cineastas também integram a mostra. A programação completa está disponível em www.facebook.com/CaixaCulturalRioDeJaneiro.

Os ingressos custam R$ 2, a inteira. A Caixa Cultural fica na Avenida Almirante Barroso, 25, no centro da cidade.

 

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir