Cultura

‘Mostra de Dança Primeiro Palco’ reúne, neste fim de semana, cinco novas produções

cada obra escolhida para a mostra vai ser apresentada duas vezes- foto: divulgação/Fabielly Vieira

cada obra escolhida para a mostra vai ser apresentada duas vezes- foto: divulgação/Fabielly Vieira

Um mês de temporada no Ateliê 23 – Casa de Criação com direito a receber toda a bilheteria arrecada. É o que vão ganhar os artistas responsáveis pelo espetáculo mais bem votado pelo público ao final da ‘Mostra de Dança Primeiro Palco’ – iniciativa da companhia de artes cênicas que reunirá hoje, amanhã e domingo cinco produções de danças urbanas e contemporâneas no palco da sede do Ateliê 23 (rua Tapajós, 166, Centro). As apresentações iniciam sempre às 20h, com entrada gratuita.

O projeto da ‘Mostra de Dança Primeiro Palco’ foi contemplado pelo Programa de Apoio às Artes (ProArte/2013), do governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (SEC). Cada obra escolhida para a mostra vai ser apresentada duas vezes e o público poderá votar na produção que mais gostou, por meio de cédulas que serão distribuídas antes das performances.

A companhia Casa de Criação é um dos grupos artísticos da cidade que costuma apresentar as produções de seu repertório em temporadas, a exemplo das mais recentes ‘Sur la vie…’ e ‘Persona’. “O projeto ‘Mostra de Dança Primeiro Palco’ tem a ver com acreditar na autonomia do artista e fazer com que ele tenha a experiência de uma temporada, algo que é raro em Manaus”, comenta Taciano Soares, ator e diretor do Ateliê 23.

A mostra contará com a presença de Gandhi Tabosa, diretor artístico, coreógrafo e bailarino da La Salle Cia. de Dança, que vai estimular discussões sobre os espetáculos. As observações por parte do público poderão ser verbais e escritas, ao final de cada dia.

Cordas

Ana Carolina Nunes, integrante da La Salle Cia. de Dança, participa da mostra com a produção ‘NÓ[s]’. “A ideia era criar um conceito sobre o que era ser uma pessoa, estar numa pessoa e se desenvolver no nosso meio”, conta Ana, sobre o conceito inicial da montagem. “Cheguei, então, à conclusão de que o ser humano é como uma caixa de nós de corda. O espetáculo fala de você se envolver com o meio e o meio envolver você. Fala da necessidade de termos alguém com a gente”, explica.

‘NÓ[s]’ será encenado pela primeira vez durante a ‘Mostra de Dança Primeiro Palco’ e, em cena, estarão os bailarinos Ana Carolina Nunes e Victor Venâncio, também integrante da La Salle Cia. de Dança, com quem a artista desenvolveu a coreografia.

A montagem ‘Minha autoria’, de Klinger Trindade, é formada por três solos: ‘Meu mar’, ‘Meu abrigo’ e ‘Meu teto’. “É como se fosse um livro com observações sobre o cotidiano das pessoas”, define o responsável pela produção.

O enfoque de ‘Meu mar’ é o alívio que uma pessoa pode sentir em meio a um cotidiano agitado ao ouvir, por exemplo, música em fones de ouvido. ‘Meu abrigo’ é inspirado num vídeo do compositor Ólafur Arnalds, sobre um homem que perde a esposa, e no próprio casamento de Klinger. ‘O tema é encontrar um novo fôlego para continuar vivendo’. E a abordagem de ‘Meu teto’ é a observação de pessoas que vivem nas ruas e não possuem abrigo.

Ilusório

Klinger Trindade é o diretor da Cia. Sentimento Urbano, cuja montagem ‘Intra Mentis’ também foi selecionada para a mostra do Ateliê 23. “A proposta é quase a mesma do ‘Minha autoria’”, observa. Os personagens são um morador de rua e um homem que perde o celular, numa obra que analisa como um acontecimento inesperado é capaz de desconectar um indivíduo da correria do dia a dia – ainda que de modo ilusório.

O público que for ao Ateliê 23 nos dias 17, 18 e 19 poderá conferir ainda ‘Subjetivo’, de Ítalo Almeida, um projeto experimental inspirado nas relações entre o intérprete e o mundo em que a composição coreográfica parte do improviso focado na música, e ‘Se eu…’, de Geffiter Garcia, que apresenta uma reflexão sobre como o ser humano encara a morte de si mesmo e de outros mais próximos.

Devido à realização da “Mostra de Dança Primeiro Palco”, não haverá encenação da peça “Persona”, que está em temporada há quatro meses, aos sábados, na sede do Ateliê 23. A produção retorna no próximo dia 25, para o encerramento dessa temporada.

Por Luiz Otávio Martins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir