Sem categoria

Morre, no Rio, aos 77 anos, o ator, produtor e diretor Luiz Carlos Miele

Um dos principais promotores da bossa nova, o produtor, diretor e ator Luiz Carlos Miele, 77, morreu na manhã desta quarta-feira (14) após passar mal em sua casa, em São Conrado, zona sul do Rio. A notícia foi confirmada pelos bombeiros, que não informaram a causa da morte.

De acordo com a corporação, às 8h20 da manhã um familiar ligou para o serviço de emergência afirmando que Miele estava passando mal. A ambulância chegou ao local às 8h32, mas o produtor já estava morto.

Segundo Vânia Barbosa, empresária de Miele, ele e a mulher, Anita, “jantaram na noite de terça-feira com alguns amigos. De manhã, a Anita acordou e o viu caído ao lado da cama, no chão”, disse à Folha de S.Paulo.

Filho da atriz e cantora Irma Miele, o paulistano Luiz Carlos nasceu em 31 de maio de 1938 e conviveu desde criança com o ambiente artístico. Aos 12 anos, começou a trabalhar como ator no programa “Meu Filho, Meu Orgulho”, na rádio Excelsior. Mais tarde, na TV Tupi, atuou no “Clube do Canguru Mirim”, programa infantil em que contracenou com Érlon Chaves, Régis Cardoso e Walter Avancini.

Mudou-se para o Rio em 1959 e começou a trabalhar na TV Continental como diretor de estúdio. No mesmo ano conheceu o jornalista e letrista Ronaldo Bôscoli, um dos nomes envolvidos na divulgação da então nascente bossa nova e com quem formaria uma das mais importantes duplas do showbiz brasileiro.

Juntos, produziram shows no hoje lendário Beco das Garrafas, em Copacabana. Produziram e dirigiram espetáculos de artistas como Wilson Simonal, Sérgio Mendes, Sarah Vaughan e Roberto Carlos, entre muitos outros. Também tiveram uma boate no Rio, a Monsieur Pujol, por onde passaram, no início dos anos 1970, astros internacionais como Dione Warwick, Burt Bacharach e Stevie Wonder.

Contratados pela Rede Globo em 1965, Miele e Bôscoli produziram dezenas de programas musicais, como “Alô, Dolly”, “Dick & Betty” e “Um Cantor por Dez Milhões, Dez Milhões por uma Canção”. A dupla passou ainda pelas principais emissoras da época: TV Rio, Excelsior e Record -nesta, promoveram o célebre “O Fino da Bossa”.

Miele também construiu uma extensa carreira como ator de cinema, teatro e TV -suas aparições mais recentes foram na minissérie “A Teia” (2014), onde interpretou o ex-senador Walter Game, e na novela “Geração Brasil” (2014), como o milionário Jack Parker.

Casado há mais de quatro décadas com Anita Bernstein, Luiz Carlos Miele não tinha filhos. Ainda não foram divulgadas informações sobre seu velório.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir