Mundo

Morre enfermeira que beija soldado em foto icônica da 2ª Guerra Mundial

O marinheiro George Mendonsa beija a enfermeira Greta Friedman na festa do fim da Segunda Guerra Mundial na Times Square, em Nova York – foto: Alfred Eisenstaedt

O marinheiro George Mendonsa beija a enfermeira Greta Friedman na festa do fim da Segunda Guerra Mundial na Times Square, em Nova York – foto: Alfred Eisenstaedt

Morreu neste sábado (10) aos 92 anos Greta Friedman, que foi imortalizada em uma foto como a enfermeira que aparece beijando um marinheiro na festa do fim da Segunda Guerra Mundial na Times Square, em Nova York.

Segundo seu filho, Joshua Friedman, ela morreu no Estado americano da Virgínia após complicações provocadas por diferentes doenças, incluindo pneumonia. Ela será enterrada ao lado do marido, Mischa, em Arlington.

Nascida em 1924 em Wiener Neustadt, na Áustria, ela também foi vítima da guerra. Judia, teve que deixar seu país em 1939, quando os nazistas já ocupavam a região, e mudou-se para Nova York.

Na época da foto, Greta era uma assistente de dentista que estava de folga em 14 de agosto de 1945, dia em que o Japão se rendeu aos Estados Unidos, marcando o fim da Segunda Guerra Mundial.

Ela participava das comemorações quando foi surpreendida pelo quartel-mestre da Marinha George Mendonsa. “Eu não vi que ele se aproximava, e quando eu percebi ele já tinha me abraçado”, disse ao canal CBS em 2012.

Greta e George não se reencontrariam até 1980, quando a revista ‘Life’ os juntou. Na ocasião, o soldado disse que ele e sua futura mulher celebravam o fim da guerra quando ele começou a beijar outras mulheres na rua.

O beijo foi registrado pelo fotógrafo Alfred Eisenstaedt e virou capa da revista ‘Life’, na época uma das publicações mais importantes dos EUA. A imagem é considerada uma das mais famosas do século 20.

Em 1985, Eisenstaedt disse que tirou quatro poses em dez segundos. “Se ela estivesse vestida com cores escuras eu nunca teria tirado aquela foto, assim como se o soldado estivesse usando um uniforme branco”, disse.

O fotógrafo morreu em 1995 e Mendonsa, em 2014.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir