Sem categoria

Morre em Manaus o médico psiquiatra Rogelio Casado

Rogelio-casado-reproduc

Morreu na manhã desta terça-feira (17) em Manaus o médico psiquiatra Rogélio Casado Marinho Filho, 63. Ele estava internado há mais de duas semanas no Hospital Uinimed, unidade Nilton Lins, Zona Centro-Sul, onde chegou apresentando complicações pulmonares. O falecimento se deu às 10h20 de hoje, após uma parada cardio-respiratória, segundo informou o jornalista Hernan Marinho, irmão do médico.

Ainda segundo familiares, no hospital, foi detectado um sangramento na bexiga, que chegou a ser tratado, e posteriormente Casado apresentou uma fibrose no pulmão. Uma biopsia ainda foi feita para descartar suspeita de câncer, porém, o resultado ainda não havia ficado pronto. Durante a noite desta segunda-feira (16), ele começou a apresentar dificuldades para respirar e chegou a ficar com apenas 10% de sua capacidade pulmonar, vindo a óbito nesta manhã.

Familiares disseram ainda que Casado perdeu a ex-esposa, vítima de câncer, há menos de um mês e desde então também não vinha gozando de saúde plana. Ele deixou dois filhos adultos, do primeiro casamento, e um meninos de 9 anos, do segundo.

O velório de Casado vai acontecer a partir das 17h, na funerária Almir Neves, na rua Joaquim Nabuco, Centro e o sepultamento está previsto para esta quarta-feira (18), no Cemitério São João Batista, também na Zona Centro-Sul.

Luta
Nascido em 6 de janeiro de 1953, Rogelio Casado estudou medicina na Universidade Federal do Amazonas na década de 70 e fez residência médica em psiquiatria na Associação Pró-Reintegração Social da Criança e no Instituto de Psiquiatria Social de Diadema, São Paulo.

De volta ao Amazonas, ganhou notoriedade levantando a bandeira em defesa dos direitos de cidadania dos portadores de doenças mentais, baseado nos princípios da Luta Antimanicomial. Ele fez história nos anos 80, quando, junto a outros ativistas, denunciou a violência com que eram tratados os usuários do Hospital Colônia Eduardo Ribeiro. Foi também neste período que ajudou a implementar no Estado a Reforma Psiquiátrica.

“O Caso foi um grade nome nessa luta. Em 1987, ele chegou a fazer greve de fome para chamar atenção da sociedade sobre os retrocessos no campo da saúde mental”, comentou o jornalista Mário Adolfo, que também conhecia Casado de suas incursões pelo ramo da arte. “Ele era um apaixonado por fotografia e usava essa arte para fazer registros e denúncias sobre os problemas sociais e políticos da cidade”, acrescentou, lembrando ainda de sua participação como um dos fundadores da Banda Independente da Confraria do Armando (Bica).

Outra marca de Casado era a sua inquietação com tudo que dizia respeito à cidade que amava, estando seu nome junto aos dos fundadores da Associação dos Amigos de Manaus (Amana). Ele também foi líder do movimento SOS Encontro das Águas, lutando contra a construção do Porto das Lajes.

Ativista político, ele foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) no Amazonas, além de ter escrito vários artigos e atuado como blogueiro.

“Nós estreitamos laços além da academia, estivemos juntos na luta da fundação do PT aqui no Amazonas. Ele era o nosso etnógrafo visual. Ele tinha um acervo de fotos das nossas lutas no PT, nos movimentos sociais e dos professores, isso nas décadas de 70, 80 e 90”, disse o professor Ademir Ramos.

Rogelio Casado também deu sua contribuição ao ensino acadêmico, chegando a atuar como pro-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), no período de 2007 a 2010. Ele também coordenou, por cerca de 10 anos, o projeto ‘Nós & Voz’, criado em 2009 pela UEA, em parceria com Associação Chico Inácio, cujo objetivo era “promover a inclusão de pessoas portadoras de sofrimento mental, por meio de atividades de qualificação profissional, cultura e geração de renda”.

O reitor da instituição, Cleinaldo Costa, emitiu nota lamentando, com profundo pesar, o falecimento do médico.

Por equipe EM TEMPO Online

 

14 Comments

14 Comments

  1. Sheila

    18 de maio de 2016 at 20:02

    Que Deus te receba com muito carinho e aqui ficamos com muita saudade. Aos familiares meus sentimentos.

  2. DANILO SILVA JUNIOR

    18 de maio de 2016 at 13:37

    Conheço o Rogélio Casado desde 1965, isto foi há 51 anos, quando ainda meninos, ingressamos no curso ginasial do Colegio Estadual do Amazonas, junto como o Juacy Botelho, Rochinha, William Abrahim, Menerval,Lelé, Ari Castelo Branco, Francisco Maia e outros contemporâneos. Lembro das noites em que íamos estuadar em sua nova casa na Rua dos Barés, onde entre um lição e outra curtiamos as últimas dos Beatles, no vinil, que o velho Casado trazia de suas viagens pelo mundo, como prático de navegação. Da motocicleta Suzuki azul, adquirida logo no começo da Zona Franca (1967), onde o mesmo, todo lampreiro, com sua vasta cabeleira ao vento, conquitava as gatinhas do CEA, para dar uma voltinha naquele objeto de desejo dos garotos daqueles idos .Do susto que ele elevou ao constatar que, no listão da UA , do vestibular de 1972, seu nome não apareceu, vindo a ser retificado em seguida para alivio de todos nos, pois o Rogélio havia alcançado uma boa pontuação. Depois foi so alegia e curtição, na Belina amarela do querido paizão. Do Bar da Tia Pátria, que o mesmo montou na garagem da casa, onde jogávamos xadez e tomávamos umas galadas, além dos quitutes da querida Tia Pátria Amada. Da aprensão da família Casado, quando do acidente sofrido pelo caçula Herman. Quando na Bar do Armando, a todos conquitava com sua presença carismática e um bom papo-cabeça.
    Por essas e outras, caro Rogélio, estarás sempre nas minhas lembranças e em nossos corações.
    Até um dia, querido companheiro!
    Danilovsky

  3. rubens pires

    18 de maio de 2016 at 09:46

    Lembro do Dr. Rogélio do bar do Armando , discreto e reservado. mas solicito com todos que o abordavam. Sonhou o sonho impossível. Grande homem, que descanse em paz.

  4. Dora Souza

    18 de maio de 2016 at 09:00

    Um profissional que ainda tinha muito a contribuir para a sociedade. Lamentável.

  5. DANILO SILVA JUNIOR

    18 de maio de 2016 at 08:46

    Conheço o Rogélio desde os idos de 1965, quando, ainda meninos, ingressamos através do Exame de Adimissão, no Colégio Estadual do Amazonas, junto com Juacy Botelho, Rochinha, William Abrahim, Francisco Maia, Menervau, Leonidas, e tantos outros que o tempo não apaga da memória.
    Lembro com saudosismo do tempo em que frequentávamos o sobrado na Ruas dos Barés, para ouvirmos os ultimos sucessos dos Beatles, que o velho Sr. Rogélio trazia em discos de vinil, de suas viagens pelo mundo. Lembro também, quando passamos, eu para engenharia e ele para medicaina, no vetibular de 72. E do grande susto de não encontramos, na primeira lista divulgada pela UA, seu nome que certamente estaria lá, pois havia acumulado muitos pontos. Enfim, o errro foi sanado e logo seu nome despontou como um dos novos calouros de medicina da UA. Naquela noite saimos para comemoram na Belina amarela do velho Casado. São coisas que ficarão para sempre em minha memória.
    Adeus, velho companheiro. Até um dia!
    Danilovsky

  6. Costa Pinto

    18 de maio de 2016 at 04:39

    Com muita tristeza e pesar lamentamos a derrota do dr.Rogelio para a morte. Jovem, ainda tinha muito a contribuir para a saúde de muitos e a cultura de Manaus. Que Deus o tenha, dr. Rogelio.

  7. Sálvia Távora

    17 de maio de 2016 at 19:44

    Meus sentimentos aos familiares pela grande perda. Um companheiro de luta na saúde mental e contribuiu bastante para a sociedade AMAZONENSE!

  8. Flor Ernestina Martinez Espinosa

    17 de maio de 2016 at 18:59

    Muito triste

  9. Ariel Ferreira Filho

    17 de maio de 2016 at 17:35

    Uma grande perda.

  10. Ione Alfaia

    17 de maio de 2016 at 15:15

    Muito, muito triste!

  11. Rosenildo Lima Mello

    17 de maio de 2016 at 15:01

    Adeus Rogelio Casado

    • Virgínia Braga Barbosa

      17 de maio de 2016 at 15:48

      Uma grande perda na saúde e na sociedade como um todo . Ajudou muito na luta pelos direitos dos portadores de doenças mentais .Descanse na paz de Deus .

    • Virgínia Braga Barbosa

      17 de maio de 2016 at 15:49

      Uma grande perda na saúde e na sociedade como um todo . Ajudou muito na luta pelos direitos dos portadores de doenças mentais .Descanse na paz de Deus .🙏🙏🙏

  12. MARCELO AUGUSTO ZACARIAS

    17 de maio de 2016 at 14:10

    Uma pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir