Política

Moro decreta prisão preventiva de lobista ligado ao PMDB

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, transformou nesta sexta-feira (25) a prisão temporária do lobista ligado ao PMDB, João Augusto Rezende Henriques, em preventiva, portanto sem prazo para ser libertado.

O Ministério Público Federal já havia pedido a prisão preventiva de Henriques na última fase da Operação Lava Jato, mas Moro só permitiu a prisão temporária na ocasião.

O engenheiro é acusado de ser operador do partido na diretoria Internacional da Petrobras. Ele foi preso temporariamente na última segunda (21).

Um dos delatores da Lava Jato, Eduardo Musa, disse que Henriques era ligado ao PMDB e atribuía a si a indicação de Jorge Zelada ao posto de diretor. O lobista teria dito a Musa que a palavra final cabia ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Moro citou a existência de contas secretas no exterior como um dos motivos para decretar a preventiva.

“O acusado vinha mantendo escondida a própria existência de contas secretas no exterior e nas quais manteria ativos decorrentes de pagamentos de propinas. Apenas a busca e apreensão realizada no dia 21/09 revelou a existência dessas contas, em seguida parcialmente admitida pelo acusado”, diz o despacho do juiz.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir