Dia a dia

Moradores denunciam invasão e destruição de área verde na Zona Norte

Parte do terreno já foi desmatado – Leitor EM TEMPO

Moradores do conjunto Sérgio Pessoa Neto, localizado no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, denunciam que, desde setembro de 2016, uma área verde, localizada atrás do conjunto, está sendo invadida. Os cidadãos, que moram no local, afirmam que já formalizaram a denúncia aos órgãos de fiscalização ambiental, mas que, até o momento, nenhuma providência foi tomada.

De acordo com um dos representantes dos moradores, o marceneiro Odenildo Menezes, 47, a área que está sendo invadida é considerada uma área de preservação ambiental. Ainda segundo ele, parte do local foi destinado pelo Governo do Estado para a construção de uma área de lazer para a comunidade, além da sede da associação de moradores. Porém, o local está sendo utilizado de forma irregular.

A Semmas disse que vai enviar uma equipe ao local

“Desde setembro do ano passado, quatro casas de alvenaria estão sendo construídas na área verde – que deve ser preservada. Os proprietários dizem que possuem autorização da Superintendência de Habitação do Amazonas (Suhab), mas eu duvido que a situação esteja legal”, afirmou o marceneiro.

Ainda segundo Menezes, desde janeiro a área verde está sendo desmatada por cerca de 20 pessoas. “Já chamamos a polícia, mas nada pode ser feito porque os policiais dizem que, como se trata de uma invasão, a retirada dessas pessoas só pode ser possível com uma ordem judicial de reintegração de posse. Porém, todos os dias essas pessoas derrubam árvores e colocam incêndio na mata. Isso também é crime. Eles só não colocaram fogo em tudo porque está chovendo bastante na capital”, destacou o morador.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) para saber a posição do órgão sobre o caso. Em nota, a assessoria informou que “realizará diligências ao local para a caracterização da área verde e a tomada de providências em relação à notificação e retirada dos invasores”. No entanto, não houve divulgação de datas ou a estipulação de prazos.

Já a Superintendência de Habitação do Amazonas (Suhab), questionada sobre a existência da liberação de terrenos na área para a construção de casas, não se pronunciou sobre o caso.

Isac Sharlon
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

grupo
Subir