Sem categoria

Montador de forro estupra enteada de 10 anos, tenta fugir e acaba preso, no Aleixo

O caso foi registrado na Depca - foto: Diego Janatã

O caso foi registrado na Depca – foto: Diego Janatã

Duas horas depois de estuprar sua enteada de 10 anos de idade, um montador de forro de 36 anos foi preso pela Polícia Militar. A prisão ocorreu após o suspeito baixar a roupa de dormir da enteada e praticar sexo oral na vítima, que pediu socorro à mãe que dormia no mesmo quarto.

O abuso ocorreu na quitinete da família, localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste. Esta foi a segunda tentativa de estupro contra a enteada, sob ameaças de morte.

De acordo com a mãe da vítima, de 28 anos, o abuso ocorreu por volta das 3h deste domingo. “Estávamos todos em casa. Como eu durmo com a minha filha de seis meses, as minhas outras três filhas dormem em colchões separados. Acordei no meio da noite com a minha filha mais velha gritando por socorro que o meu companheiro estaria estuprando ela. Gritei falando que não acreditava nisso e ele alegou que minha filha era sonâmbula e estaria sonhando. Mas, em seguida ele fugiu para a casa da família dele, que fica próximo”, explicou.

A mãe da vítima disse, ainda, que acionou os policiais militares da 28ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que efetuaram a prisão do suspeito, duas ruas depois, na casa da família.

A vítima relatou ao  EM TEMPO que o padrasto começou o abuso quando ela estava dormindo. Há sete dias ele já havia tentado aliciá-la, mas a garota conseguiu fugir dos ataques. “Eu não percebi quando ele baixou minha roupa. Estava dormindo e acordei com meus shorts próximos do meu pé e ele me abusando. Avisei minha mãe e corri para a casa da minha avó. Na primeira vez ele me ofereceu R$ 20 para que ele pudesse alisar minhas pernas. Ele disse que se contasse para alguém ele iria me bater. Hoje,  ele falou que se eu contasse para minha mãe me mataria”, relembrou.

O montador de forro foi autuado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), na Zona Centro-Oeste. Após os procedimentos ele será encaminhado à cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro.

Por Thaís Gama

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir