Economia

Modernização nos bancos versus redução de postos de trabalho preocupam funcionários

A modernização dos serviços bancários em sistema online, pela internet e caixas eletrônicos, traz benefícios aos usuários, mas preocupa os bancários do país. Num ambiente de greve, com dificuldade para o fechamento de acordo entre funcionários e patrões, as demissões são pautas de discussões entre os representantes da classe. A avaliação é do Sindicato dos Empregados de Empresas Bancárias do Amazonas (Seeb-AM) que aponta, de janeiro a julho deste ano, o corte de 7.897 postos de trabalho nos bancos do país, e 64 somente no Amazonas, conforme dados da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf).

O resultado do volume de cortes de trabalhadores da categoria no período, representa um aumento de 34,7% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram extintos 5.864 postos. Diante do problema, os representantes dos bancários lamentam não poder intervir na política administrativa dos bancos, mas afirmam que tem intercedido junto aos empresários para que continuem contratando.

O presidente do Seeb-AM, Nindberg Barbosa, avaliou que o Amazonas é um Estado que ainda não sofre tantas baixas nos cargos graças ao fato de a maioria da população ainda não ter o hábito de utilizar os serviços bancários pela internet. Mas, se a tendência tecnológica se manter, as perdas com demissões e poucas contratações serão inevitáveis em um futuro próximo.

“Apesar do avanço tecnológico, que é danoso para os empregos, tem serviços que uma máquina não faz, como tirar dúvidas do cliente e fazer atendimento personalizado. Estamos intervindo para que as contratações se mantenham”, afirmou o sindicalista.

Do total 7.897 perdas de postos de trabalho apresentadas nos dados da Contraf/CUT, 61% teve como causa desligamento sem justa causa e apenas 28% se deu como causa do desligamento, o pedido por parte do próprio funcionário.

Ainda de acordo com Nindberg, outro fator tem preocupado a categoria, porque os bancos já estão deixando de fazer contratações para cargos de base como gerentes gerais, gerente de mercado, supervisores e superintendentes. Mas, em compensação outros cargos operacionais têm tido manutenção regular, como é o caso de operador de caixa e escriturário.

Greve

A greve dos bancários entrou no seu décimo oitavo dia hoje (23), ainda sem sinal de nova proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Em Manaus, a agência do Bradesco da avenida Boulevard Álvaro Maia foi reaberta para oferecer atendimento de urgência aos aposentados do governo do Estado do Amazonas e a pensionistas para quem possam fazer a quitação dos seus vencimentos mensais.

Das quatro agências que foram reabertas na quarta-feira (21), apenas a do Bradesco do Shopping Casa Center, localizada entre as avenidas Djalma Batista e Constantino Nery, na Zona Centro-Sul, ameaçava fechar até ontem (22). Outras agências do Bradesco também reabriram na avenida André Araújo, Zona Centro-Sul e uma na avenida Carvalho Leal, Zona Sul.

Entre as agências do banco Itaú, abriram duas na avenida Djalma Batista, uma na avenida Boulevard Álvaro Maia, nas proximidades do cemitério São João Batista, uma no Parque 10, Zona Centro-Sul, outra no Campos Elíseos, Zona Centro-Oeste, e uma na Compensa, Zona Oeste.

Por Joandres Xavier do jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir