Dia a dia

Ministro da Saúde nomeia nova coordenadora do Dsei, em Parintins

Lanira substitui a ex-coordenadora Paula Rodrigues que foi exonerada da função depois que lideranças indígenas dos povos Sateré, rios Andirá e Marau, e Iskariana - foto: Tadeu de Souza

Lanira substitui a ex-coordenadora Paula Rodrigues que foi exonerada da função depois que lideranças indígenas dos povos Sateré, rios Andirá e Marau, e Iskariana – foto: Tadeu de Souza

Parintins (AM) – O ministro da Saúde, Ricardo Barros, acaba de nomear a professora Lanira Garcia como a nova coordenadora do Distrito Sanitário Especial Indígena de Parintins (Dsei/Parintins), órgão vinculado à Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

Lanira substitui a ex-coordenadora Paula Rodrigues que foi exonerada da função depois que lideranças indígenas dos povos Sateré, rios Andirá e Marau, e Iskariana, região do alto Nhamundá, denunciaram supostas irregularidades em sua prestação de contas.

Três nomes concorriam ao cargo. O nome do coordenador interino, Nilton Rodrigues, do artista plástico Aldamir Sataré e da professora Lanira Garcia, que durante muitos anos comandou a educação no município de Parintins tento, inclusive, realizado várias ações nas aldeias localizadas nas cabeceiras do rio Uaicurapá.

No domingo, após a informação de que teria sido nomeada pelo Ministério da Saúde, Lanira Garcia viajou para Barreirinha onde manteve uma demorada reunião com líderes do povo Sateré-Mawé, entre esses o prefeito do município, Messias Sateré, e o ex-secretário estadual dos povos indígenas, Jecinaldo Sateré.

Durante o encontro os líderes se comprometeram em ajudar a professora na condução dos destinos do Dsei/Parintins.

Na tarde de ontem, Lanira Garcia, após a divulgação de sua nomeação no Diário Oficial da União, recebeu em sua residência lideranças indígenas que foram externar apoio à sua gestão.

O líder indígena Derly Batista disse que o correto seria a nomeação de um indígena, porém, em razão das circunstâncias as lideranças entendem que a professora Lanira Garcia terá condições plenas de fazer a transição trabalhando em comum acordo com as aldeias de Parintins, Barreirinha, Nhamundá e Maués.

Apenas o artista Aldamir Sataré, um dos concorrentes ao cargo, reagiu à indicação da educadora dizendo que o ato feria os interesses dos povos indígenas que querem que o órgão seja comandado por índios e não por brancos.

Por Tadeu de Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir