Mundo

Ministra francesa pede ‘mil desculpas’ após defender boicote à Nutella

A ministra da Ecologia da França, Ségolène Royal, pediu “mil desculpas” após provocar polêmica e atrito diplomático ao sugerir que as pessoas deveriam deixar de comer Nutella a fim de preservar o meio ambiente.

Em entrevista à emissora Canal+ na segunda-feira (15), a ministra havia dito ser preciso “parar de comer Nutella (…) porque é feita de óleo de palma”.

Royal alegou que a extração do óleo de palma “provoca danos consideráveis ao meio ambiente” devido ao desmatamento. Ela afirmou, ainda, que deveriam ser usados “outros ingredientes” na produção do creme de avelãs.

Após os comentários, o ministro do Ambiente da Itália, Luca Galletti, reagiu dizendo que a sua colega francesa deveria “deixar os produtos italianos em paz”.

Por sua vez, a empresa Ferrero, que fabrica o creme de avelãs, afirmou em comunicado que adota “diversos compromissos com relação ao seu fornecimento de óleo de palma”. A matéria-prima é produzida na Malásia, em Papua-Nova Guiné e no Brasil.

Nesta quarta (17), Royal publicou uma mensagem no Twitter em que pede “mil desculpas pela polêmica” sobre a Nutella e “reconhece os avanços” da Ferrero no que se refere à adoção de compromissos ambientais.

Não é a primeira vez que a Nutella é alvo de polêmica na França. Em 2012, o Parlamento do país votou e rejeitou um projeto de lei que propunha um aumento de 300% na taxa sobre o óleo de palmeira.

Seus defensores argumentavam que o produto seria prejudicial ao meio ambiente e que contribuiria para a obesidade infantil.

 

Por Folha Press

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir