Política

Ministério da Justiça planeja reunião em Manaus para discutir segurança nos rios da Amazônia

Crime nas áreas fluviais gera prejuízo de R$ 100 milhões por ano - foto: divulgação

Crime nas áreas fluviais gera prejuízo de R$ 100 milhões por ano – foto: divulgação

O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, confirmou, nesta quinta-feira (18), que vai articular com o governo federal a realização de uma grande reunião em Manaus para debater sobre a segurança nos rios da Amazônia. O anúncio aconteceu logo após a audiência pedida pelo Senador Omar Aziz (PSD-AM), que contou com a participação do presidente do Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial do Amazonas (Sindarma), Galdino Alencar Júnior. O prejuízo decorrente deste tipo de crime chega a R$ 100 milhões por ano, segundo o sindicato.

“Hoje a navegação se tornou um perigo por causa da atuação de piratas nos rios. Já aconteceram furtos e até homicídios. Temos que tomar uma providência e a melhor providência é unir forças. A navegação dos rios da Amazônia tem peculiaridades. É impossível ter base da policia em todos os lugares. Quando se tem um roubo, a policia precisa ser rápida. É preciso planejamento e por isso que estamos trabalhando”, afirmou Omar Aziz.

O Ministro da Justiça concordou com as afirmações de Omar Aziz e garantiu que vai trabalhar pela integração de esforços entre o poder público nas esferas federal e estadual.

“Foi uma reunião extremamente positiva. De onde percebemos as necessidades em programas integrados entre governo federal e estadual, além da sociedade civil, trabalhando juntos em ação conjunta. Não vamos resolver o problema se não estivermos juntos. Precisamos estar integrados, todos unidos para planejar uma operação integrada e executá-la da forma que for acordada”, analisou José Eduardo Cardozo.

Sobre a reunião em Manaus, o Ministro foi categórico sobre a necessidade da participação de representantes de Pará, Amapá, Rondônia, Roraima e Acre, além do próprio Amazonas. “Esse grande encontro vai ajudar a formularmos as políticas públicas para o combate a este tipo de crime”, definiu Cardozo.

“Vamos reunir em Manaus, os governadores, Ministério da Justiça, secretarias de segurança, Polícia Federal e todas as forças possíveis para que a gente possa fazer o planejamento para dar segurança na navegação dos nossos rios”, completou Omar Aziz.

Para o presidente do Sindarma, os crimes nos rios da Amazônia acabam incentivando outros problemas como a prostituição em garimpos ilegais. “Temos lutado para coibir os roubos nos rios, mas as longas distâncias prejudicam. Procuramos o Senador Omar Aziz e ele marcou esta audiência com o Ministro da Justiça, que nos atendeu muito bem. Crime de roubo de petróleo é o que mais aflige os transportadores. Na calha do Madeira, o óleo é desviado para garimpos ilegais, o que resulta ainda na prostituição infantil”, denunciou Galdino.

Com informações da assessoria de comunicação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir