País

Minha Casa, Minha Vida terá campanha para diminuir inadimplência, diz ministro

o governo assinará uma medida provisória que institui o cartão reforma, com previsão de subsídio de até R$ 500 milhões para o ano de 2017 - foto: arquivo/ EM TEMPO

o governo assinará uma medida provisória que institui o cartão reforma, com previsão de subsídio de até R$ 500 milhões para o ano de 2017 – foto: arquivo/ EM TEMPO

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, disse nesta quinta (6), após participar de encontro na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que lançará uma campanha para combater a inadimplência da faixa 1 do ‘Programa Minha Casa, Minha Vida’, que está em 25%.

“É algo injustificável, porque a sociedade brasileira aporta 90% do valor do imóvel e cabe ao beneficiado pagar só 10% do pagamento por dez anos. As pessoas precisam ser conscientizadas de que se não pagarem e não cumprirem com seus compromissos não terão a escritura”.

Segundo ele, o governo assinará uma medida provisória que institui o cartão reforma, com previsão de subsídio de até R$ 500 milhões para o ano de 2017.

“O cartão pode ter um atendimento médio em torno de R$ 5 mil reais, com 15% dos recursos sendo aplicados para contratar profissionais técnicos, engenheiros, arquitetos para auxiliar na reforma de áreas adensadas”. Para fornecer esse cartão, os técnicos irão visitar as casas e ouvir as proprietárias que podem decidir o tipo de serviço prioritário.

O ministro disse ainda que o ‘Minha Casa, Minha Vida Entidades’, que representa 2% do programa, continua existindo, porém, todo o orçamento de 2016 já foi consumido. O orçamento de 2017 está tramitando no Congresso Nacional e já tem viabilizadas 35 mil unidades para entidades rurais e 35 mil para unidades urbanas.

“Sancionado o orçamento já começamos a fazer novas contratações para 2017 em cima desse volume de recursos, que é maior do que 2016 e 2015, o que já é um grande avanço, dadas as dificuldades econômicas do país”.

Flávia Albuquerque

Agência Brasil

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir