Sem categoria

Milhares lotam a 10 de Julho para ‘entrar na Bica’ e comemorar seus 30 anos de tradição

Segundo a PM, 40 mil pessoas participa da folia - foto: Mairkon Castro

Segundo a PM, 40 mil pessoas participa da folia – foto: Mairkon Castro

“Bar do Armando é patrimônio cultural, mas continua metendo a Bica em político lalau”. Com irreverentes personagens e um tema contagiante, que descreve, entre outros acontecimentos do cenário político local e nacional, a operação ‘Lava Jato’, a tradicional Banda Independente da Confraria do Armando, a popular ‘Bica’, levou neste sábado (30) à rua 10 de Julho, Centro de Manaus, milhares de foliões para comemorar seus 30 anos de tradição no Carnaval da cidade.

O movimento no local começou por volta das 15h e às 17 o lugar já estava tomado por um mar de gente em busca de alegria e diversão. Segundo estimativas do subcomandante da Polícia Militar, Rubens de Sá, um público de mais de 40 mil pessoas participa da folia, que deve ultrapassar a meia-noite, seguindo pela madrugada.

A coordenadora da Bica, Ana Claudia Soeiro, 43, filha do já falecido português Armando, que deu origem à banda, ressalta que a importância do resgate histórico da tradicional banda de rua é uma continuidade do trabalho realizado pelo seu pai. ” Toda a família está muito feliz por continuar esse legado de nosso pai, que tanto amava levar irreverência e tradição no Carnaval da nossa Manaus”.

Para a porta estandarte da Bica, Emily Araújo, que participa há 8 anos consecutivos nesse posto, a emoção é grande. “Contribuir com o resgate do tradicional Carnaval de rua em nossa capital é contribuir com o resgate da cultura popular em nosso Estado”, disse a porta estandarte.

Ao longo dessa trajetória de irreverência, a tradicional banda revela, a cada ano, músicos da nova safra. Entre os mais novos se destaca o jovem Eduardo, conhecido como ‘DuDu Brasil’ que já participa há 7 anos como compositor e intérprete das famosas marchinhas da banda. “A nova safra de compositores que eu faço parte é na verdade a continuação de uma trajetória do meu pai e de outros compositores antigos que estamos seguindo”, pontuou o jovem.

Para a família Jonhson, que mora há mais de 30 anos na rua 10 de Julho, a brincadeira que a Bica promove todos os anos é muito importante para que não morra essa tradição. “Todos os anos nos reunimos em nosso pátio, aqui na frente de casa, e isolamos a área para que somente os nossos convidados participem da folia, ao som das tradicionais marchinhas” conta Guilherme Jonhson, membro da família.

Difusora

Banda-da-Difusora

Pelo menos 60 mil compareceram à banda – foto: divulgação

Também tradicional no Carnaval de Manaus, a Banda da Difusora arrastou multidões neste sábado, quando chegou a sua 21ª edição. A animação da folia ficou por conta das bandas Marrakesh, Os Embaixadores, bateria da Mocidade Independente de Aparecida, atual campeã do carnaval no Amazonas, e Júnior e Banda.

De acordo com o organizador, André Anzoategui “a Banda da Difusora completa 21 anos com a mesma folia positiva e alegre, e com um papel fundamental de manter viva a tradição do carnaval de rua”, destacou.

Para o advogado João Vinicius, 35, que todos os anos participa da Banda da Difusora com sua família, o evento incentiva a alegria e a valorização dos artistas locais.

“Muitas bandas aqui na capital surgem do dia para noite, mas sem o compromisso de manter vivo o carnaval de rua em nossa capital, incentivando a valorização dos artistas locais”, comentou Vinicius.

Segundo a PM, a estimativa de público para o evento é de 60 mil pessoas.

Por Marirkon Castro

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir