Política

Metade da bancada do Amazonas na Câmara votou em Rodrigo Maia

Líder do DEM na casa, Pauderney Avelino orquestrou a vitória de seu correligionário - foto: divulgação

Líder do DEM na casa, Pauderney Avelino orquestrou a vitória de seu correligionário – foto: divulgação

Dos 285 votos que o deputado federal Rodrigo Maia (DEM) recebeu no 2º turno da eleição para a presidência da Câmara dos Deputados, quatro foram de representantes da bancada do Amazonas na casa: Alfredo Nascimento (PR), Hissa Abrahão (PDT), Marcos Rotta (PMDB) e Pauderney Avelino, este último líder do DEM no Legislativo. Maia foi eleito na noite desta quarta-feira (14), após vencer o adversário, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) e vai cumprir mandato-tampão até fevereiro de 2017, após a renúncia de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara.

Os deputados Arthur Bisneto (PSDB) e Silas Câmara (PRB) não revelaram seus votos. A reportagem não conseguiu localizar os deputados Átila Lins (PSD) e Conceição Sampaio (PP) para comentar seus votos.

Prefeiturável, Marcos Rotta afirmou que ontem estava no gabinete de Rodrigo Maia e, na oportunidade, alinharam novos pensamentos de como “abrir o gabinete ao diálogo com os parlamentares”. Segundo ele, a reunião tratou ainda de acelerar pautas importantes.

“O gabinete estava lotado e conversamos sobre a necessidade de construir uma agenda positiva, retornar a pautas importantes para que o Brasil encontre novos rumos para crescimento, como a geração de empregos”, acrescentou Rotta. Segundo o deputado, Rodrigo Maia agradeceu pelo apoio recebido do PMDB e reconheceu a importância deste partido para a votação de processos que sejam de interesse da sociedade.

Rotta afirmou ter saído muito otimista do encontro e salientou que, embora Maia seja jovem, já carrega certo grau de experiência e possui bom trânsito e relacionamento. O deputado revelou que no primeiro turno, o PMDB se dividiu entre os candidatos Marcelo Castro e Rodrigo Maia. “O fato de Marcelo Castro ser egresso do governo Dilma não possibilitou uma unidade do partido. No segundo turno, conseguimos, inclusive, ouvir Rogério Rosso. Posso afirmar que pelo menos 70% do PMDB marchou com Rodrigo Maia”, frisou o parlamentar.

Hissa Abrahão – que votou no primeiro turno em Marcelo Castro – disse que optou por Maia na segunda fase de votação e, espera que a atuação do novo presidente da Câmara “flua de forma natural”.

Alfredo Nascimento revelou que a orientação de seu partido era votar no 1º turno no candidato Fernando Giacobo (PR–PR). Mas, os pensamentos foram redefinidos e o PR decidiu votar em massa em Rodrigo Maia. “Essa definição leva a uma crise política muito forte, porque impedia a votação de matérias importantes. Com a definição, o PR vai voltar pautas positivas, para o país sair dessa inércia. A Câmara precisa votar em projetos que garantam a retomada da economia. A mudança da crise financeira é fundamental”, disse o deputado.

Líder do DEM na casa, Pauderney Avelino orquestrou a vitória de seu correligionário. Segundo ele, a escolha de um novo presidente da casa apresenta a necessidade de discussão a temas da agenda do governo interino de Michel Temer (PMDB) e medidas que irão assegurar a retomada do crescimento do país. Segundo o parlamentar, há temas prioritários que devem ser levados em consideração de imediato como a votação do projeto de lei que retira a obrigação legal de a Petrobras liderar todos os investimentos no pré-sal e a decisão sobre a dívida dos estados, tema de outro projeto de lei.

Pauderney afirma também que a escolha de Rodrigo Maia é uma forma do partido retomar o papel protagonista na política brasileira. “Lideramos o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Além de Rodrigo Maia, temos nomes muito expressivos no partido, como o deputado Onyx Lorenzoni, que assumiu a relatoria da Comissão Especial que estabelece medidas contra a corrupção, um passo fundamental para retomar a paz e a normalidade política no país”.

Na disputa ainda no 1º turno, Rodrigo Maia afirmou estar pronto para liderar a casa num momento de crise. “Estive no centro de todos os acordos parlamentares que tentaram evitar que o Brasil naufragasse”. No segundo discurso, antes do resultado final, prometeu uma Câmara “soberana”. “Uma Câmara dos Deputados forte, que nos orgulhemos dos atos”, disse, destacando sua experiência de cinco mandatos.

Voto misterioso

Fazendo mistério sobre em quem votou, Silas Câmara disse ao EM TEMPO que o voto é secreto e que, qualquer presidente que ganhasse a eleição teria condições de fazer um belíssimo trabalho. “Agora vamos caminhar para o pós-recesso, em uma caminhada mais firme e votar nas matérias importantes para o Brasil”.

Arthur Bisneto também não revelou seu voto, mas afirmou que Rodrigo Maia é um parlamentar experiente, inteligente, limpo e uma pessoa correta para o momento que a Câmara passa. “Ele vai ter uma atuação muito imparcial porque tem uma vida limpa, não tem vínculo com Eduardo Cunha e vai ser um bom presidente. Só não podia ser o Marcelo Castro”, disse se referindo ao aliado de Dilma Rousseff.

Por Fabiane Morais

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir