Esportes

Messi torna-se o maior artilheiro da história da seleção argentina em goleada sobre os EUA

Lionel Messi, 28, tornou-se nesta terça-feira (21) o maior artilheiro da história da seleção argentina. O recorde foi alcançado com o segundo gol da vitória por 4 a 0 sobre os Estados Unidos, em Houston.

O resultado colocou a Argentina na final da Copa América Centenário.

No domingo (26), a seleção argentina decidirá o título contra o vencedor do jogo entre Chile e Colômbia, nesta quarta-feira (22), em Chicago. O país bicampeão mundial não levanta uma taça com seu time principal desde a Copa América de 1993.

O 55º tento de Messi com a camisa argentina foi um golaço de falta, marcado quando sua equipe já vencia por 1 a 0 (gol de Lavezzi).

O craque do Barcelona, eleito pela Fifa o melhor jogador do mundo em cinco temporadas, ultrapassou nesta terça o ex-atacante Gabriel Batistuta, que marcou 54 gols em sua trajetória com a seleção da Argentina.

O ex-atleta, porém, precisou de 78 jogos para atingir sua marca, com uma média de 0,69 gols por partida. Messi, por sua vez, atuou em 112 oportunidades e tem uma média de 0,48 por partida.

ATROPELAMENTO

Jürgen Klinsmann, treinador da seleção americana, preparou a sua equipe para deter o poderoso ataque argentino –em especial, Messi. O plano do alemão, no entanto, foi por água abaixo rapidamente.

Logo aos dois minutos de partida, Messi deu um passe genial para Lavezzi e o atacante encobriu o goleiro Guzan com uma cabeçada muito inteligente.

A vantagem precoce deixou os argentinos muito à vontade na partida, enquanto os americanos tiveram de adotar uma postura mais agressiva para buscar o empate. Assim, ficaram expostos aos contra-ataques.

O gol do recorde, aos 31 minutos, praticamente matou a equipe dos Estados Unidos, que sentiu falta de um ataque de melhor qualidade.

Na segunda etapa, a situação não mudou. Os argentinos continuaram dominando as ações e ampliaram sua vantagem logo aos quatro minutos, com um gol do atacante Higuaín.

Dali até o fim da partida, o público que lotou o estádio de Houston assistiu a uma mera formalidade. E, mesmo jogando em ritmo de treino, diante de um adversário desanimado, a Argentina marcou o quarto gol, mais uma vez de Higuaín.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir