Dia a dia

Mesmo sem água, moradores do Nova Vitória recebem cobrança de tarifa

 Faturas referentes a junho, dos moradores do Nova Vitória, cobram o mês inteiro, apesar de terem passado 20 dias sem o abastecimento de água – foto: Marcio Melo

Faturas referentes a junho, dos moradores do Nova Vitória, cobram o mês inteiro, apesar de terem passado 20 dias sem o abastecimento de água – foto: Marcio Melo

Mesmo sem receber o abastecimento de água, por pelo menos 20 dias durante o mês de junho, moradores de alguns bairros da Zona Leste, alegam que a Manaus Ambiental, empresa responsável pelo serviço, cobrou integralmente dos usuários, 30 dias de abastecimento. Além disso, alguns clientes que se negaram a pagar a conta, reclamaram da inclusão do nome aos órgãos de proteção de crédito.

A moradora do bairro Nova Vitória, Marceline Pereira Lima, disse ter ficado surpresa quando recebeu em casa, a fatura do referido mês. Tudo porque, a taxa que era para ser com um valor reduzido, devido a suspensão do fornecimento de água por mais de duas semanas, aumentou absurdamente. Ele ressaltou que foi informada pela própria empresa, que os moradores não seriam cobrados pelos dias que ficaram sem o fornecimento de água.

“Estávamos confiantes que iriamos pagar somente aquela taxa mínima, porque ficamos quase um mês sem água, mas quando chegou a fatura, veio a surpresa, no meu caso, em especial, o valor veio até um pouco a mais do que eu costumo pagar. Para o meu desespero, a conta veio R$ 700. Quero saber como uma pessoa pode pagar esse valor, se não consumiu água? Um absurdo. Eles brincam com a cara do consumidor e nada é feito. Nem reclamo mais, porque todas as vezes que ligo para a empresa, nunca podem resolver a situação. O jeito é tentar negociar”, declarou.

Situação semelhante é vivida pela comerciante Maria Lucineide Almeida. Ela afirma que, com ou sem água, a conta não deixa de chegar em sua casa todo mês. Lucineide destacou ainda, que no caso dela, a situação ainda é bem mais complicada, já que nunca se beneficiou com os serviços da Manaus Ambiental e mesmo assim é comtemplada com as cobranças.

“Como moro na parte alta do Nova Vitória, a água não tem pressão para subir até a nossa caixa. Com isso, não recebemos o abastecimento dessa empresa. Hoje, sobrevivo com a água que vem do poço, que nós moradores mandamos construir, mas mesmo assim, a conta chega aqui em casa, todo mês no valor de R$ 90. Já entrei em contato várias vezes com a Manaus Ambiental, mas nunca consigo atendimento. Então decidi parar de pagar as faturas e hoje meu nome está nos órgãos de defesa de crédito. Vou ver até onde eles vão, depois tomo as devidas providências”, afirmou.

Prejuízo

No bairro Grande Vitória, os moradores também estão amargando o prejuízo de uma conta, considerada por eles “injusta”. A comerciante Karine Silva, afirma que o bairro vive constantes problemas de falta de água e que para sobreviver precisam pagar uma taxa a vizinhos que possuem poços, para poderem receberem todos os dias, em baldes, o líquido.

“Além de pagar a conta da Manaus Ambiental, nós ainda temos que pagar aos moradores do bairro uma taxa de R$ 30, a cada dois dias. Infelizmente essa é a nossa realidade. Agora, imagine quem não tem dinheiro. Como esse povo sobrevive? Como estamos em ano de política, aparece um monte de candidato aqui dizendo que vai resolver e faz todo aquele cenário lindo na TV, mas depois desaparecem e nós continuamos vivendo essa triste e dolorosa situação”, observou.

A reportagem do EM TEMPO entrou em contato com a concessionária Manaus Ambiental para falar sobre as reclamações dos moradores entrevistados, mas até o fechamento desta edição,a empresa não se posicionou a respeito.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir