Esportes

Mesmo com forte calor Eduardo Oliveira vence desafio de ultramaratona promovida pelo GUAM

Os atletas do GUAM correram duas noites e um dia, com paradas apenas para comer - foto: divulgação

Os atletas do GUAM correram duas noites e um dia, com paradas apenas para comer – fotos: divulgação

O ultramaratonista Eduardo Oliveira, 39, foi o campeão do desafio solo Manaus/Itacoatiara – (a 268 quilômetros de Manaus). Ele completou a prova por volta das 5h da manhã deste domingo (11).

O segundo a chegar foi José Carlos Xistos, 46. Maria Rita de Cássia, 48 – única mulher do grupo de seis atletas que participou do desafio promovido pelo Grupo de Ultramaratonistas do Amazonas (GUAM), teve de desistir do desafio praticamente na reta final, no km 200 da AM-010 por problemas renais.

“Eu estava me sentindo muito bem, com um ritmo mais forte até a terceira etapa do percurso e percebi que tinha chance de vencer o desafio. Isso me cobrou um esforço maior e acabei diminuindo as paradas para ir ao ‘banheiro’, o que acabou resultando em dores muito fortes, me obrigando a desistir na etapa final”, explicou a atleta.

O desafio consistia em enfrentar a AM-010 apenas com um único par de tênis

O desafio consistia em enfrentar a AM-010 apenas com um único par de tênis

Segundo Maria Rita, o sobe e desce da estrada AM-010 e o calor escaldante do asfalto foram o maior obstáculo dos atletas.

“Durante o dia foi muito difícil, nosso rendimento foi pouco, por isso forçamos a corrida à noite. Não descansamos, não dormimos, fomos até o limite do corpo e o meu estafou por volta do km 200”, lamentou ela.

Para o campeão da ultramaratona, Eduardo Oliveira, o maior desafio foi mesmo a temperatura, mas o rigoroso treino o ajudou. “Eu agradeço a Deus e aos amigos que me acompanharam, minha família e a todos. Não foi fácil, teve momento que pensei ter chegado ao meu limite, mas consegui completar o desafio”, afirmou.

José Carlos Xisto disse que foi um dos desafios mais difíceis e por pouco não completava o percurso. “Eu pensei em desistir várias vezes, mas pela graça de Deus eu consegui. Sofri muito, mas deu tudo certo.”

Os outros integrantes do grupo: Ênio Ribeiro, 26 anos; Carlos Junior, 50; e Manuel Ferreira, 49 , devido ao excesso de esforço por causa da elevada temperatura correram até a primeira etapa do percurso, decidindo parar por questão de segurança à saúde.

Desafio

O desafio iniciou às 16h da sexta-feira (9) no km zero da AM-010 em Manaus. Os atletas do GUAM correram duas noites e um dia, com paradas apenas para comer.

O desafio consistia em enfrentar a AM-010 apenas com um único par de tênis, levando nas costas mochilas com 10 a 13 quilos, contendo apenas lanternas – para atravessar a escuridão noturna, materiais de primeiros socorros e alimentação para três dias.

Segundo Maria Rita o objetivo do GUAM é divulgar as corridas de longa distância modalidade ‘Survivor’, que significa ‘sobrevivente’, onde o atleta leva numa mochila tudo o que precisa para completar a distância, sem apoio, sem pegar carona ou receber ajuda externa.

Desafios do Guam

Esta não foi a primeira vez que o Grupo de Ultramaratonistas do Amazonas promoveu desafios intermunicipais. Em 2013 este seleto grupo já correu de Manaus até Manacapuru. Em 2014 os ultramaratonistas correram o percurso de 107 quilômetros da BR 174, de Manaus até Presidente Figueiredo. E em 2015, o desafio triplicou e chegou a Itacoatiara.

Outros grandes desafios de longa distancia estão previstos, mesmo que não haja apoio ou patrocínio.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir