Eleições

Mesmo com desistência de Amazonino, Braga vai à TV para dar entrevista

 

O candidato Eduardo Braga (PMDB) não desistiu de participar do debate na Rede Amazônica, na noite desta sexta-feira (25), e foi até à sede da emissora. Entretanto, após desistência do seu adversário no segundo turno da eleição suplementar, Amazonino Mendes (PDT), apenas uma entrevista de 20 minutos deverá ser feita se realmente o candidato não comparecer.

Leia também: Amazonino Mendes anuncia que não vai participar de último debate

Logo após chegar à sede da emissora de TV, localizada na Zona Centro-Sul de Manaus, Braga foi recepcionado pela imprensa. Na ocasião, agradeceu o convite do grupo de comunicação e aproveitou para criticar seu opositor. “Eu queria agradecer a emissora por esse debate, que seria um debate de propostas. Lamento a desistência do meu opositor. Quero poder apresentar minhas propostas, pois candidato que tem propostas não foge de debate. Nós temos propostas para gerar emprego e resolver a crise da segurança pública”, alfinetou.

Para Braga, atualmente o Estado do Amazonas vive um momento de crise que afeta diversas áreas como a saúde, transporte público, educação, segurança e geração de emprego. “Nós temos uma crise enorme na saúde que precisa ser enfrentada imediatamente. Eu não vi o meu adversário dizer o que vai fazer com os super contratos do atual governo. Vou rever o contrato da Umanizzare – que é um absurdo – e também outros na área da saúde e educação. São exatamente esses recursos que poderão melhorar a segurança nas ruas, fazer mutirões de saúde com cirurgias especializadas, medicamentos, voltar a ter especialidades nas policlínicas e Serviços de Pronto Atendimento”, ressaltou Braga.

Com a ausência de Amazonino, Eduardo foi entrevista por cerca de 20 minutos – Márcio Melo

O candidato aproveitou para destacar propostas para a área de geração de emprego e renda no Amazonas. “Vamos baixar os impostos na cesta básica, gasolina, óleo diesel, gás de cozinha, entre outros. Fazer uma nova Lei de incentivos fiscais estaduais para o Polo Industrial de Manaus, para atrair novos investimentos. Quando sobra recurso no bolso do povo, aumenta o consumo. Quando isso acontece, gera emprego na loja, no transporte e na industria. É assim que a economia cresce. Nós estamos aqui para mostrar essas propostas e como fazer essas mudanças. Na democracia depende do voto de cada um. Quem anula o voto está ajudando o candidato que não tem propostas”, comentou Eduardo.

Leia também: José Melo tem recursos negados pelo TSE e eleição suplementar é mantida no AM

“Os nossos problemas têm jeito, com trabalho, planejamento e enfrentamento. O eleitor no domingo vai fazer uma grande virada. Tem jeito, é 15 com certeza. Para que o Amazonas possa continuar avançando e resolvendo os problemas para melhorar a vida do povo”, destacou o peemedebista. Tenho 36 anos de vida pública, estou diante do primeiro governador cassado no Amazonas – o primeiro a ser sucedido por eleição direta – e o primeiro candidato a governador que foge de um debate por não ter propostas”, completou.

Alegando ser alvo de ataques, Amazonino abriu mão do espaço para o peemedebista – Janailton Falcão

Amazonino Mendes

Menos de 3h para começar o último debate televisivo antes do segundo turno da eleição suplementar, o candidato Amazonino Mendes (PDT) anunciou, por meio de nota oficial, na noite desta sexta-feira (25), que não participaria do embate com o peemedebista. Alegando ser alvo de ataques, o cacique da política amazonense abriu mão do espaço para o peemedebista. Confira a nota na íntegra divulgada pela coligação “Movimento pela reconstrução do Amazonas”, de Amazonino Mendes:

“Ao longo desta campanha, fui alvo de inúmeros ataques. Enquanto apresentamos nossa proposta para reconstruir o Amazonas e planejar o futuro do nosso Estado, fomos confrontados com inverdades, numa campanha desleal, de baixo nível, promovida pelo meu adversário. Apenas em inserções na rádio e na televisão foram mais de quatro mil ataques. Uma campanha muito diferente da que a população espera ver em um momento tão delicado para o Amazonas. Por tudo isso, e pela certeza de que meu adversário age dessa forma, por acreditar que esta é a única forma de fazer política, fiz uma escolha. Optei por não participar do encontro promovido pela Rede Amazônica. Com um adversário desleal, que faz o jogo sujo da velha política, um debate sincero, honesto e propositivo não é possível”

EM TEMPO
Isac Sharlon

Leia também:

Contagem regressiva: tudo preparado para o segundo turno da eleição suplementar no AM

Amazonino Mendes disputa segundo turno contra Eduardo Braga em eleição do AM

Pesquisa aponta vitória de Amazonino com até 30 pontos percentuais

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir