Economia

Mesmo com crise, setor aéreo investe R$ 210 mi em centros de manutenção

 

Dos oito parlamentares do Estado na Câmara Federal pelo menos cinco declararam que não vão usar a verba de gabinete para pagar passagens aéreas para esposas e familiares – foto: divulgação

 A Azul Linhas Aéreas e a JF Aviation, por exemplo, vão aplicar neste ano R$ 210 milhões na construção de dois novos centros de manutenção de aeronaves. – foto: divulgação

Apesar de ter sido atingido duplamente pela crise -com o aumento dos custos e a queda no número de passageiros-, o setor aéreo faz agora planos de investimentos.

A Azul Linhas Aéreas e a JF Aviation, por exemplo, vão aplicar neste ano R$ 210 milhões na construção de dois novos centros de manutenção de aeronaves.

O local escolhido foi o aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo, que está em expansão após concessão do governo federal.

Só a Azul investirá cerca de R$ 160 milhões na obra e na aquisição de equipamentos. O hangar de 14 mil m² ficará numa área de 100 mil m² no aeroporto.

Já o hangar da JF Aviation, especializada na manutenção de aeronaves de terceiros, vai ocupar 18 mil m² na mesma área. O aporte será de R$ 50 milhões.

A área que receberá os hangares, localizada à direita da cabeceira da pista, já passou por terraplenagem e as construções devem ser iniciadas no próximo mês.

Segundo o vice-presidente técnico-operacional da Azul, Flávio Costa, o novo centro é suficiente para abrigar oito aviões Airbus A320 simultaneamente.

A obra está prevista para terminar em dezembro deste ano e o início das operações será de forma escalonada a partir de 2017, segundo o executivo.

Hoje, a empresa opera com 144 aeronaves e vai receber até o final do ano mais seis Airbus A320. Até 2023, serão mais cem aviões na frota, segundo a Azul.

Com relação aos empregos, serão gerados cerca de 200 novas vagas de técnicos de hangar para a manutenção das aeronaves. A empresa informou que manterá seus outros centros de manutenção de aviões em Belo Horizonte e em Porto Alegre.

Praticidade

Já o presidente da JF Aviation, João Francisco Rodrigues, afirmou que Viracopos será o principal hub de manutenção da empresa de serviços.

Nos outros aeroportos, como Galeão, no Rio, e Cumbica, em São Paulo, serão mantidos apenas os serviços de linha, que são mais fáceis e de rápida solução.

“Viracopos foi o aeroporto que mais ofereceu oportunidades. Além de ter área para expansão, as principais empresas aéreas passam por ali”, disse.

A Gol Linhas Aéreas mantém um centro de manutenção no aeroporto de Confins (MG), enquanto a TAM realiza seus serviços no aeroporto de São Carlos, no interior paulista.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir