Dia a dia

Menores de idade são recapturados após fuga de Centro Socioeducativo na Cidade Nova

A ação policial contou com apoio de policiais militares da Rocam, Força-Tática e 6ª Cicom – fotos: Márcio Melo

A Rocam recapturou no início da noite desta sexta-feira (17), os sete adolescentes que fugiram, na tarde desta sexta-feira (17), do Centro Socioeducativo Senador Raimundo Parente, localizado na avenida Noel Nutels, bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. Dois foram localizados próximo de uma feira e os outros cinco foram encontrados dentro de uma igreja evangélica, onde estavam escondidos. A ação policial contou com apoio de policiais militares da Força-Tática e 6ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), no fim da tarde de hoje, dez jovens participavam de uma aula de educação física, quando deram início ao plano de fuga.

“Juntos, eles abriram um buraco no muro, que fica localizado nos fundos da quadra, onde estavam realizando as atividades. A ação era intercalada e um por vez saía e quebrava um pouco da parede. Nisso, o educador não percebeu a ação dos infratores e eles acabaram fugindo”, relatou o comunicado divulgado pela Sejusc.

O comunicado reforça ainda que “ao perceber que estavam faltando sete menores, o educador informou imediatamente à polícia sobre a fuga e a ação de recaptura durou pouco mais de 1h”.

Os adolescentes foram apreendidos e encaminhados para a sede da Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), onde estão sendo realizados os procedimentos cabíveis. Após, eles retornaram para o centro socioeducativo.

Um autônomo, que trabalha próximo ao Terminal de Integração 3 (T3), informou que eram por volta das 17h quando viu dois adolescentes, aparentando terem 16 anos cada, correndo.

“Eles estavam assustados e correndo. A população resolveu segurá-los e, logo em seguida, a polícia chegou e eles confessaram que haviam fugido do Raimundo Parente. Ninguém bateu neles, até porque nós não sabíamos o que era a situação, mas como eles estavam correndo, apenas seguramos e aguardamos a chegada da polícia”, informou o autônomo que não quis ter o nome divulgado.

Isac Sharlon

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir