País

Menino de 13 anos é atingido por bala perdida dentro de escola em Niterói, no Rio

Um menino de 13 anos foi atingido por uma bala perdida nesta sexta-feira (7) dentro do colégio Nossa Senhora das Mercês, em Niterói, região metropolitana do Rio. Ele participava de uma aula de educação física quando, por volta das 9h30 da manhã, foi atingido de raspão nas costas.

Segundo uma nota divulgada pela escola, o menino brincava com colegas na quadra de esportes quando sentiu uma ardência nas costas. A professora, então, interrompeu a atividade e, em seguida, encontrou no chão da quadra um projétil. Ele foi socorrido e levado a um médico da família. Segundo um funcionário da escola, ele passa bem e já está em casa.

O menino fez exame de corpo de delito e seu pai prestou depoimento na 78ª Delegacia de Polícia, onde o caso foi registrado. As aulas na escola não foram suspensas.

O colégio particular Nossa Senhora das Mercês fica na alameda São Boaventura, em Fonseca, bairro de classe média de Niterói. Funcionários dizem que com frequência escutam barulho de tiros que, segundo eles, vêm de favelas na região. Porém, a escola nunca havia sido atingida por um disparo.

O número de homicídios na região aumentou de cinco para 17 desde junho de 2014.

A Polícia Militar informou em nota que realiza operações no Complexo da Viradouro, em Santa Rosa, e no morro da Igrejinha, no largo da Batalha. Ambas favelas ficam a cerca de 5 km da escola. Segundo a PM, não houve registro de confronto. Não há uma operação em curso na região de Fonseca.

A polícia diz que o batalhão enviou uma viatura ao local para buscar informações sobre o caso e intensificou as rondas na região.

Bala perdida

Essa foi a segunda vez em menos de 24 horas que uma pessoa foi atingida por bala perdida no Rio.

Um homem morreu após levar um tiro dentro de sua própria casa em Quintino, bairro da zona norte do Rio, na tarde da última quinta-feira (6).

Naquele momento acontecia na região um confronto entre policiais e traficantes.

A Polícia Civil investiga o caso e diz que ainda não é possível afirmar de onde partiu o tiro.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir