Sem categoria

Melo se reúne com praças da PM na quinta para discutir reivindicações da categoria

Caso o governador falte novamente com a palavra os sindicalistas prometeam voltar com o movimento grevista - foto: Joandres Xavier

Caso o governador falte novamente com a palavra, os sindicalistas prometeram voltar com o movimento grevista – foto: Joandres Xavier

O governador José Melo vai anunciar, na próxima quinta-feira (22), o atendimento aos pleitos mais simples dos praças da Polícia Militar, que estão em movimento grevista desde quarta-feira (14). A informação foi dada pelo representante da Casa Civil, Raul Zaidan, em reunião com as lideranças sindicais, nesta sexta-feira (16), na sede da Casa.

Com o reestabelecimento do diálogo e as primeiras reivindicações atendidas, os praças decidiram suspender a greve até o anuncio de José Melo, que acontece na reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), ás 11h. O governador não esteve presente na reunião de hoje, mas falou ao telefone com os representas e fez propostas à categoria.

As primeiras reivindicações atendidas foram o auxílio fardamento, auxílio alimentação, além da criação de um código de ética específico para a categoria. Gerson Feitosa, presidente do Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apem), disse que José Melo irá utilizar atos governamentais para atender a esse pleitos com agilidade, pois os mesmos não geram custos aos cofres públicos do Estado.

O governador se comprometeu em discutir as soluções para as principais reivindicações que são: pagamento da data base e a promoção de patente, ambos com acordos vencidos.

A greve do praças da Polícia Militar foi iniciada na quarta (14), após o governador José Melo não comparecer a última reunião entre as partes, que estava marcada às 15h, a UEA. O não comparecimento do governador representou uma afronta aos praças, que durante a tarde, de imediato, no meio da avenida Djalma Batista, iniciaram uma assembleia improvisada e votaram por unanimidade à adesão a greve, com a presença de aproximadamente 300 servidores.

O presidente da Apeam ainda disse que a categoria foi informada sobre a decisão na sede da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Amazonas (ASCSPMAM), onde estavam aproximadamente 400 servidores aquartelados. Na assembleia geral, a maioria votou a favor da proposta do governo e, portanto, ficou acordado que a greve estaria provisoriamente suspensa até a quinta-feira (22) dia do anúncio.

Os sindicalistas alertaram que, caso o govenador falte novamente com a palavra, o movimento grevista volta com mais força, maior organização, e contando com a adesão de um número maior de servidores da categoria. O governador por sua vez, prometeu conversar diretamente com os policiais.

Por Joandres Xavier

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir